FECHAR
FECHAR
09 de abril de 2012
Voltar
Mineração

As exportações do setor de rochas ornamentais

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais (Abirochas), apesar do setor registrar uma redução de 1,87% no volume físico exportado entre janeiro e outubro do ano passado, o faturamento cresceu 4,54% em relação ao mesmo período de 2010, principalmente em função do aumento do preço das rochas. Os aumentos registrados pela associação no mesmo período foram de 5% para as chapas de granitos e similares, 11% para blocos de granitos e similares, 41% para blocos de mármore, 23,5% para chapas polidas de mármore, 12% para produtos de ardósia e 16% para quartzitos folhados.

As rochas silicáticas brutas, como o granito e o quartzito, foram responsáveis por 25% do total faturado, enquanto as rochas carbonáticas brutas, como os blocos de mármore, corresponderam a apenas 0,30% do faturamento. O motivo do baixo número de exportações de mármore, na avaliação da Abirochas, foi o incremento do mercado interno, já que a remuneração em moeda local se demonstrou mais vantajosa.

Por outro lado, as importações brasileiras de rochas ornamentais movimentaram US$ 56,5 milhões, o equivalente a quase 90 mil t de produto, com cerca de 70% do volume físico correspondendo a chapas de rochas e 20% a blocos. No caso das exportações, as rochas processadas foram responsáveis por 75% dos negócios durante o mesmo período de 2011 e por 45% do volume físico comercializado no mercado externo.

A expectativa da Abirochas para os próximos anos é de que o rendimento da exportação de pedras ornamentais brutas seja cada vez maior, apesar da atual importância da venda de rochas já tratadas. No último período apresentado de 2011, em relação ao mesmo do ano anterior, pode-se registrar um aumento de 15% em valor e de 2% em peso nas exportações dos materiais brutos, enquanto a venda de pedras processadas para o exterior aumentou apenas 1,2% em valor e caiu 6% em peso.