ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
19 de outubro de 2021
Voltar

Vendas globais de equipamentos de construção podem ter recorde em 2021

Projeções da Off-Highway Research apontam para um volume de 1,13 milhão de unidades vendidas em todo o mundo
Fonte: AEM

Neste ano, as vendas globais de equipamentos de construção devem atingir um volume recorde de 1,13 milhão de unidades, de acordo com projeções da Off-Highway Research.

Espera-se que a tendência continue em 2022, com diversos fabricantes relatando pedidos para toda a produção em andamento.

Segundo Chris Sleight, diretor da Off-Highway Research, embora já se espere uma diminuição da demanda na China, a recuperação em outros mercados-chave, como Europa e América do Norte, deve elevar as vendas a níveis recordes.

Na América do Norte, a expectativa é de que as vendas cheguem à marca recorde de 12%. Na Europa, por sua vez, o avanço previsto é de 15% este ano. Mesmo na China, a demanda vem de um nível extremamente alto, com aumento de cerca de 30% em 2020.

“O pico nas vendas globais de equipamentos, que começou em 2017, já foi estendido além do esperado”, comenta Sleight. “Esse pico prolongado nas vendas é algo incomum, talvez até sem precedentes”, acrescentou.

No que pese seu evidente aspecto positivo, a situação também embute alguns desafios para a indústria, como explica o especialista.

“Isso pode levar à formação de uma grande população de equipame...


Neste ano, as vendas globais de equipamentos de construção devem atingir um volume recorde de 1,13 milhão de unidades, de acordo com projeções da Off-Highway Research.

Espera-se que a tendência continue em 2022, com diversos fabricantes relatando pedidos para toda a produção em andamento.

Segundo Chris Sleight, diretor da Off-Highway Research, embora já se espere uma diminuição da demanda na China, a recuperação em outros mercados-chave, como Europa e América do Norte, deve elevar as vendas a níveis recordes.

Na América do Norte, a expectativa é de que as vendas cheguem à marca recorde de 12%. Na Europa, por sua vez, o avanço previsto é de 15% este ano. Mesmo na China, a demanda vem de um nível extremamente alto, com aumento de cerca de 30% em 2020.

“O pico nas vendas globais de equipamentos, que começou em 2017, já foi estendido além do esperado”, comenta Sleight. “Esse pico prolongado nas vendas é algo incomum, talvez até sem precedentes”, acrescentou.

No que pese seu evidente aspecto positivo, a situação também embute alguns desafios para a indústria, como explica o especialista.

“Isso pode levar à formação de uma grande população de equipamentos relativamente novos, o que representaria uma barreira para vendas futuras, particularmente se a atividade de construção cair”, observa Sleight.