ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
25 de novembro de 2021
Voltar

Pesquisadores brasileiros desenvolvem aerostato agrícola híbrido

Com aplicação multifuncional, o Projeto Eros 60 promete uma solução para pulverizar, adubar, semear, irrigar, transportar e inspecionar as áreas de plantio
Fonte: Assessoria de imprensa

Mescla de drone, pulverizador autopropelido e avião agrícola, o aerostato agrícola híbrido cibernético foi desenvolvido e patenteado por Luiz Paulo Alonge, diretor de negócios e inovação da Empreendedor de Atitude, e José Bertocco, diretor de engenharia e projetos da Drakkar Máquinas, que buscam investidores para o projeto.

Equipado com sensores, o equipamento – batizado de Projeto Eros 60 – é movido a energia solar e possui torre de ferramentas intercambiáveis, cobrindo múltiplas linhas de pulverização (quatro seções de 10 m), inclusive em culturas sem vias diretas de acesso e sobre qualquer tipo de talude ou inclinação.

Segundo os desenvolvedores, o aerostato híbrido cibernético pode atuar em qualquer tipo de cultura agrícola e, com a troca de ferramentas, permite pulverizar, adubar, semear, irrigar, transportar e inspecionar as áreas de plantio, além de aplicações em outras áreas.

Os tanques podem ser abastecidos e trocados em pleno voo, com o equipamento a 10 m do solo, enquanto o pouso também pode ser feito sobre a água.

“Esse novo conceito vai mudar a forma de aplicação entre as áreas dentro e fora das propriedades, reduzindo os custos de produção para o agricultor”, ass...


Mescla de drone, pulverizador autopropelido e avião agrícola, o aerostato agrícola híbrido cibernético foi desenvolvido e patenteado por Luiz Paulo Alonge, diretor de negócios e inovação da Empreendedor de Atitude, e José Bertocco, diretor de engenharia e projetos da Drakkar Máquinas, que buscam investidores para o projeto.

Equipado com sensores, o equipamento – batizado de Projeto Eros 60 – é movido a energia solar e possui torre de ferramentas intercambiáveis, cobrindo múltiplas linhas de pulverização (quatro seções de 10 m), inclusive em culturas sem vias diretas de acesso e sobre qualquer tipo de talude ou inclinação.

Segundo os desenvolvedores, o aerostato híbrido cibernético pode atuar em qualquer tipo de cultura agrícola e, com a troca de ferramentas, permite pulverizar, adubar, semear, irrigar, transportar e inspecionar as áreas de plantio, além de aplicações em outras áreas.

Os tanques podem ser abastecidos e trocados em pleno voo, com o equipamento a 10 m do solo, enquanto o pouso também pode ser feito sobre a água.

“Esse novo conceito vai mudar a forma de aplicação entre as áreas dentro e fora das propriedades, reduzindo os custos de produção para o agricultor”, assegura Alonge.

O equipamento, diz ele, tem capacidade de trabalhar 1.239 ha/dia, muito acima de aerostatos autopropelidos (144 ha/dia), drones (194 ha/dia) ou aviões Airtractor USA (270 ha/dia) e Ipanema Embraer (145 ha/dia).

“Assim, para obter o mesmo desempenho e produtividade do Eros 60 são necessários nove tratores autopropelidos, cinco aviões Airtractor USA, nove Aviões Ipanema Embraer e seis drones israelenses”, compara o diretor.