ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
19 de outubro de 2021
Voltar

NSA Pneutec celebra 70 anos de mercado

Especializada em reforma de pneus, indústria paulista comemora sete décadas no segmento de recapagem de pneus
Fonte: Assessoria de Imprensa

Em outubro, a NSA Pneutec celebra 70 anos de atuação na indústria especializada em reforma de pneus. Fundada em 1951, a empresa ao longo dos anos foi adquirindo parceiros importantes para a indústria, como a Vipal, uma das mais importantes indústrias brasileiras no segmento de borrachas para reforma, e a Goodyear, tradicional indústria global de pneus novos.

Com uma planta instalada em Santana de Parnaíba (SP), a empresa sempre buscou na tecnologia uma maneira de inovar e se manter competitiva no setor, apostando na sustentabilidade.

“A reforma de pneus por si só já é uma atividade sustentável, já que evita que milhares de pneus sejam descartados”, destaca Giulio Cesar Claro, diretor da empresa.

“Aliado a isso, utilizamos água de reúso, fazemos tratamento de esgoto interno, otimizamos o aproveitamento de luz por meio de telhas prismáticas translúcidas e demos destino correto a 100% dos resíduos que geramos”, ressalta.

Segundo o executivo, cada pneu reformado economiza 57 litros de petróleo e 26 quilos de CO2, comparado ao pneu novo. “A reforma preserva o meio ambiente, evitando que milhares de toneladas sejam descartadas mensalmente”, completa.

Além da tecnologia atrelada à rotina da reforma de pneus, Claro destaca que os investimentos em s...


Em outubro, a NSA Pneutec celebra 70 anos de atuação na indústria especializada em reforma de pneus. Fundada em 1951, a empresa ao longo dos anos foi adquirindo parceiros importantes para a indústria, como a Vipal, uma das mais importantes indústrias brasileiras no segmento de borrachas para reforma, e a Goodyear, tradicional indústria global de pneus novos.

Com uma planta instalada em Santana de Parnaíba (SP), a empresa sempre buscou na tecnologia uma maneira de inovar e se manter competitiva no setor, apostando na sustentabilidade.

“A reforma de pneus por si só já é uma atividade sustentável, já que evita que milhares de pneus sejam descartados”, destaca Giulio Cesar Claro, diretor da empresa.

“Aliado a isso, utilizamos água de reúso, fazemos tratamento de esgoto interno, otimizamos o aproveitamento de luz por meio de telhas prismáticas translúcidas e demos destino correto a 100% dos resíduos que geramos”, ressalta.

Segundo o executivo, cada pneu reformado economiza 57 litros de petróleo e 26 quilos de CO2, comparado ao pneu novo. “A reforma preserva o meio ambiente, evitando que milhares de toneladas sejam descartadas mensalmente”, completa.

Além da tecnologia atrelada à rotina da reforma de pneus, Claro destaca que os investimentos em sistemas de automação de processos representam outro avanço para o setor na última década.

Nesse sentido, o GDI (Gestão de Desempenho Integrado) é a primeira etapa de um processo que o especialista classifica como essencial para que o transportador tenha um “raio x” do pneu e seu processo de reforma.

“O GDI começa no início do processo, a partir da coleta dos dados feita por um colaborador que emite as informações via tablet para o setor de produção, assim que um pneu chega até nós”, diz ele.

De acordo com o diretor, o sistema faz com que o frotista tenha informações precisas e é capaz de dizer quais os principais motivos de recusa dos pneus para reforma, quais as regiões com maior desgaste na carcaça, qual o tipo de problema recorrente por marca, modelo e ano de fabricação, determina o índice de recusa, número de vidas, entre outros diagnósticos.

“Sendo assim, o GDI é um procedimento que propicia mais agilidade na reforma de pneus e permite uma melhor organização interna, além de permitir que a raspagem de pneus seja programada e realizada de forma personalizada e otimizada para cada cliente”, conclui Claro.