ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
02 de novembro de 2021
Voltar

John Deere apresenta nova colhedora de algodão CP770

A máquina promete eficiência, tecnologia, agilidade e maior capacidade de colheita, com mais volume de algodão por fardo e economia de 20% de combustível
Fonte: Assessoria de Imprensa

A John Deere aliou sua expertise global às principais necessidades do produtor de algodão para projetar a colhedora de algodão CP770. A novidade reúne conforto, tecnologia e sustentabilidade, com foco em produtividade e eficiência de colheita.

A máquina inova oferecendo aumento na velocidade de colheita, fardos mais densos e maiores, além de uma nova cabine que proporciona mais tecnologia e ergonomia, se tornando a única no mercado brasileiro com essas características. Entre as novidades estão o aumento de 5% na velocidade, o que corresponde a 1,8 hectare a mais, em 10 horas de trabalho, e uma eficiência de 20% de combustível.

Inovações e soluções tecnológicas, como a proposta na CP770, são cada vez mais importantes para que o produtor consiga obter a máxima produtividade de sua lavoura, com redução de custos e sustentabilidade.

"A agricultura brasileira é uma força incontestável e, a cada ano, se mantém como pilar fundamental para o PIB do país. A CP770 busca atender às necessidades que uma lavoura de alta performance tem para produzir um dos melhores algodões do mundo", pontua Marcelo Lopes, diretor de Vendas da John Deere Brasil.

A CP770 possui pacote avançado de tecnologia e dados da lavoura, que são enviados de for...


A John Deere aliou sua expertise global às principais necessidades do produtor de algodão para projetar a colhedora de algodão CP770. A novidade reúne conforto, tecnologia e sustentabilidade, com foco em produtividade e eficiência de colheita.

A máquina inova oferecendo aumento na velocidade de colheita, fardos mais densos e maiores, além de uma nova cabine que proporciona mais tecnologia e ergonomia, se tornando a única no mercado brasileiro com essas características. Entre as novidades estão o aumento de 5% na velocidade, o que corresponde a 1,8 hectare a mais, em 10 horas de trabalho, e uma eficiência de 20% de combustível.

Inovações e soluções tecnológicas, como a proposta na CP770, são cada vez mais importantes para que o produtor consiga obter a máxima produtividade de sua lavoura, com redução de custos e sustentabilidade.

"A agricultura brasileira é uma força incontestável e, a cada ano, se mantém como pilar fundamental para o PIB do país. A CP770 busca atender às necessidades que uma lavoura de alta performance tem para produzir um dos melhores algodões do mundo", pontua Marcelo Lopes, diretor de Vendas da John Deere Brasil.

A CP770 possui pacote avançado de tecnologia e dados da lavoura, que são enviados de forma automática por meio da solução de telemetria JDLink. E, no Operations Center, o produtor pode acompanhar as informações em tempo real, quando há acesso à internet.

A ação faz parte do esforço da John Deere em desbloquear o potencial tecnológico do campo, por meio da conectividade rural e da agricultura de precisão.

O equipamento conta ainda com tecnologia exclusiva de rastreamento do algodão, que apoia iniciativas de certificações de origem do produto e maior controle de qualidade na cadeia produtiva. A câmara de formação do fardo também ganhou melhorias.

Com módulos 2% maiores e 5% mais densos, a porção concentra mais algodão dentro da mesma embalagem, o que garante a redução do custo. Já a cabine da colhedora tem tecnologia totalmente integrada e está mais ergonômica, 30% maior que a dos modelos anteriores. O receptor integrado faz parte desse novo pacote tecnológico, bem como o monitor Gen4 4600.

"Temos um mercado favorável para a safra 2021/22. Vamos entregar um equipamento que supre a necessidade dos produtores de alta performance, oferecendo todos os meios para que nosso cliente colha algodão de forma eficaz, tecnológica e sustentável, preservando a qualidade do produto até o consumidor final", reforça Lopes.