ABRIR
FECHAR
ABRIR
FECHAR
19 de outubro de 2021
Voltar

CNH Industrial fecha temporariamente diversas fábricas na Europa

Contínuas interrupções na cadeia de fornecimento levaram a empresa a fechar temporariamente várias de suas instalações fabris no continente
Fonte: AEM

A fabricante ítalo-americana CNH Industrial anunciou na quarta-feira (dia 13) que fechará temporariamente várias de suas instalações europeias de fabricação de veículos agrícolas, comerciais e de trens de força, devido às interrupções na aquisição de componentes, incluindo semicondutores.

A CNHi – que dentre outras detém as marcas de máquinas agrícolas New Holland Agriculture e Case IH, caminhões e ônibus Iveco, equipamentos de construção New Holland Construction e Case CE e motores FPT – disse em comunicado que planeja paralisar as fábricas por oito dias úteis neste mês, acrescentando que está constantemente revendo seus cronogramas de produção.

Montadoras em todo o mundo estão enfrentando escassez de chips semicondutores em meio a um aumento pós-pandêmico da demanda, o que tem forçado várias empresas a reduzir o ritmo de produção nos últimos meses.

Além disso, alguns fabricantes já alertaram que a crise de componentes deve se arrastar até 2022.

...

A fabricante ítalo-americana CNH Industrial anunciou na quarta-feira (dia 13) que fechará temporariamente várias de suas instalações europeias de fabricação de veículos agrícolas, comerciais e de trens de força, devido às interrupções na aquisição de componentes, incluindo semicondutores.

A CNHi – que dentre outras detém as marcas de máquinas agrícolas New Holland Agriculture e Case IH, caminhões e ônibus Iveco, equipamentos de construção New Holland Construction e Case CE e motores FPT – disse em comunicado que planeja paralisar as fábricas por oito dias úteis neste mês, acrescentando que está constantemente revendo seus cronogramas de produção.

Montadoras em todo o mundo estão enfrentando escassez de chips semicondutores em meio a um aumento pós-pandêmico da demanda, o que tem forçado várias empresas a reduzir o ritmo de produção nos últimos meses.

Além disso, alguns fabricantes já alertaram que a crise de componentes deve se arrastar até 2022.