FECHAR
04 de maio de 2021
Voltar

A mineração do futuro e o futuro da mineração são temas de evento on-line

O evento realizado na semana passada contou com painéis, apresentações de trabalhos técnicos e minicursos
Fonte: Assessoria de Imprensa

Na solenidade de abertura da 10ª edição do Congresso Brasileiro de Minas a Céu Aberto e Minas Subterrâneas (CBMINA) representantes do setor mineral e da Academia afirmaram que a qualificação de mão de obra, o descobrimento de novos talentos, inovações, diversidade e inclusão no setor devem ser os focos da mineração brasileira para assegurar um horizonte de crescimento responsável e sustentável.

O CBMINA é organizado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) em parceria com o Departamento de Engenharia de Minas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e contou com painéis, apresentações de trabalhos técnicos e minicursos, com a presença virtual de mais de 2.400 participantes.

Em sua apresentação, presidente do Conselho Diretor do Ibram, Wilson Brumer, disse que são os universitários e jovens profissionais que vão determinar como será o futuro da Mineração do Brasil.

“Com iniciativas como o CBMINA queremos atrair cada vez mais os jovens para o setor. Esperamos que eles influenciem e comandem os rumos desta importante atividade industrial”, afirmou.

Ele também ressaltou a importância de abrir mais espaço para as mulheres no setor mineral.

“Ficamos muito felizes em cons...


Na solenidade de abertura da 10ª edição do Congresso Brasileiro de Minas a Céu Aberto e Minas Subterrâneas (CBMINA) representantes do setor mineral e da Academia afirmaram que a qualificação de mão de obra, o descobrimento de novos talentos, inovações, diversidade e inclusão no setor devem ser os focos da mineração brasileira para assegurar um horizonte de crescimento responsável e sustentável.

O CBMINA é organizado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) em parceria com o Departamento de Engenharia de Minas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e contou com painéis, apresentações de trabalhos técnicos e minicursos, com a presença virtual de mais de 2.400 participantes.

Em sua apresentação, presidente do Conselho Diretor do Ibram, Wilson Brumer, disse que são os universitários e jovens profissionais que vão determinar como será o futuro da Mineração do Brasil.

“Com iniciativas como o CBMINA queremos atrair cada vez mais os jovens para o setor. Esperamos que eles influenciem e comandem os rumos desta importante atividade industrial”, afirmou.

Ele também ressaltou a importância de abrir mais espaço para as mulheres no setor mineral.

“Ficamos muito felizes em constatar que a diversidade de gênero está sendo cada vez mais valorizada e praticada pelo setor. Temos consciência de que precisamos e vamos ampliar o número de mulheres em todas as posições e em todas as áreas da mineração. Um dos passos para isso é nossa participação ativa no movimento Women in Mining Brasil”, afirmou Brumer.

Presente à abertura do evento, Paulo Sérgio Lacerda Beirão, Presidente e Diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), destacou que é relevante a contribuição atual das mulheres neste setor e sua importância no pensar sobre o futuro da mineração.

“Embora a mineração seja uma atividade que venha dos primórdios, nós ainda temos muitos desafios científicos e tecnológicos a vencer. Ainda há muito desenvolvimento e tecnologia a serem construídos e precisamos muito desses novos estudantes e jovens profissionais, homens e mulheres, para que a inovação chegue cada vez mais rápido ao setor”.

Sandra Regina Goulart Almeida, reitora da UFMG, sinalizou que o CBMINA tem um papel muito importante para todos da universidade. “Nos unir ao Ibram na organização deste evento é pensar no futuro da mineração e nos desafios deste importante setor. É uma forma de identificar os problemas e suas resoluções diante de profissionais, empresas, governos e estudantes. Estamos aqui construindo pontes para pensar em prol da mineração”.

Cláudio Lúcio Lopes Pinto, professor da UFMG e integrante da comissão organizadora do CBMINA, lembrou que o evento já tem tradição no meio acadêmico.

“Depois de 20 anos organizando este importante fórum de debates, estamos agora em um ambiente novo (virtual) e não podemos deixar de pensar na mineração brasileira e gerar interação entre a Academia e o setor produtivo. Essa interação trará bons frutos para o setor mineral nacional”.

Representando todos os estudantes que participam do evento, Kimberly Soares, membro do Centro de Estudos de Mineração (CEMIN) e do Grêmio Minero-Metalúrgico Louis Ensch da UFMG, destacou a importância de eventos como o CBMINA para formação profissional dos universitários.

“Nossa caminhada profissional vai muito além da sala de aula eumo evento como o CBMINA gera muito aprendizado para todos. A programação está bastante diversificada e com certeza iremos adquirir muito conhecimento nesses dois dias”, finaliza.