FECHAR
FECHAR
19 de setembro de 2018
Voltar

Empresas

Distribuidora de geradores Cummins para as regiões Norte do Brasil tem aumento de 140% nas vendas

A Noroeste Máquinas, do grupo DCCO, apresentou os resultados e novas aplicações em sistema de geração de energia durante o Open Energy Day, em Rondônia
Fonte: Assessoria de Imprensa

A Noroeste Máquinas, empresa do Grupo DCCO e distribuidora da Cummins na região Norte do país, atendendo os estados do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima, fechou o primeiro semestre deste ano com um aumento de 140% em volume de máquinas comercializadas em comparação com o mesmo período de 2017.

Um dos destaques nos primeiros seis meses de 2018 foi a aquisição, pelo Residencial Ecoville – condomínio horizontal de alto padrão em Porto Velho, na capital de Rondônia, do gerador C65 carenado a diesel para atender a área comum do condomínio.

As novas tecnologias e aplicações em sistemas de geração de energia, incluindo energia solar, foram apresentadas pela Noroeste Máquinas, durante o Open Energy Day, realizado no Golden Plaza Hotel, em Porto Velho, RO.

Atualmente com 40% de participação no mercado de geradores da região, a Noroeste tem atendido clientes de vários segmentos que incluem Agronegócio, Comércio, Construção, Marítimo, Mineração e Rodoviário.

No início deste ano, a empresa apostou em um novo nicho de mercado, a geração de energia solar.

Em conjunto com os geradores fabricados pela Cummins, a Noroeste está oferecendo soluções em energia solar fotovoltaica, que inclui estudos de viabilidade, homologação e instalação do sistema para mini e micro geração de energia para fins residencial, comercial e industrial.

"A energia solar é um complemento às soluções de energia que a Noroeste já disponibiliza. Estamos trabalhando com o sistema on-grid, interligado à rede da concessionária e conhecido pela economia gerada na produção de energia solar interligada ao sistema da concessionária" afirma Sérgio Gabriel, diretor da Noroeste.

Os estados de Amazonas, Rondônia, Roraima e Acre, por exemplo, recebem uma boa incidência solar, de 5,5 kWh/m², potencial alto para produção de energia solar.

Entretanto, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), há pouquíssimos projetos instalados e homologados nesses estados. Em 2016, o número foi de 41 projetos, 0,003% dos projetos instalados no Brasil.

Produção editorial: Revista M&T – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral