FECHAR
FECHAR
10 de outubro de 2018
Voltar

EMPRESAS

ZF desenvolverá eixos off-road no Brasil para mercados globais

Unidade brasileira passa a ser a única do grupo no mundo a desenvolver a inteligência de eixos fora de estrada para o mercado global de equipamentos
Fonte: Assessoria de imprensa

Ao completar 60 anos no Brasil, a ZF América do Sul acaba de ser reconhecida como Centro de Competência Global na área de eixos agrícolas do Grupo ZF. Com isso, será a única unidade no mundo a desenvolver a inteligência de eixos para o mercado global, com papel estratégico. Sediado em Sorocaba (SP), o novo Centro de Competência será responsável por coordenar o desenvolvimento de eixos para todos os mercados do mundo atendidos pela ZF.

De acordo com Stefan Prebeck, diretor global de engenharia da unidade de negócios fora de estrada da ZF, o principal foco dos desenvolvimentos serão os grandes mercados da América Latina, Oriente e Europa, onde há forte demanda por esse tipo de produto. Para isso, foram criados centros de engenharia correspondentes em países como China e Índia, cuja operação se iniciou em abril deste ano.

A expectativa é criar novos projetos de desenvolvimento e aplicação, atendendo clientes de forma personalizada e sob medida. “Os projetos internacionais precisam de colaboração próxima com as equipes de vendas e produção locais, que muitas vezes podem não estar no Brasil”, explica Prebeck.

Paulo Vecchia, gerente da unidade de negócios para tecnologia industrial da ZF América do Sul, estará à frente da coordenação deste trabalho de inteligência locado no Brasil, atuando de forma integrada com as demais unidades de negócios em engenharia criadas para suportar a nova estrutura.

De acordo com o executivo, novos investimentos estão previstos, além da contratação de engenheiros e equipes de campo que irão acelerar o tempo de desenvolvimento de novos produtos, assim como impor um novo ritmo de velocidade de resposta aos clientes.

Atualmente o mercado de eixos dianteiros tracionados no mundo é de 500 mil unidades, considerando montadoras que constroem o seu próprio eixo. O mercado brasileiro representa aproximadamente 11% deste total. “O objetivo principal é de ampliar o portfólio de soluções para a área off road em todo o mundo, onde há constante expansão e modernização, e atender as máquinas destinadas a todos os tipos de operação no campo e nos canteiros de obras”, explica Vecchia.

Produção editorial: Revista M&T – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral