FECHAR
04 de fevereiro de 2020
Voltar

EMPRESAS

Thyssenkrupp é reconhecida com destaque na proteção climática pela CDP

Empresa figura pela quarta vez consecutiva na lista A de proteção climática da entidade sem fins lucrativos CDP (antigo Carbon Disclosure Project)
Fonte: Assessoria de Imprensa

A thyssenkrupp está, pela quarta vez consecutiva, na lista de líderes globais em proteção do clima divulgada pela entidade CDP, que reconhece um total de 179 empresas internacionais.

O ranking avaliou mais de 8 mil companhias (em uma escala de desempenho de A a F, em que A é a mais alta) em torno da transparência com que comunicam seus dados relevantes para o clima e em relação à formulação de uma estratégia coerente sobre como podem melhorar sua própria "pegada" de carbono e as de seus clientes e fornecedores.

"O ranking confirma que estamos no caminho certo para reduzir, consistentemente, a nossa pegada de carbono na produção e em nossos produtos. Consideramos a proteção climática não apenas uma obrigação, mas também uma oportunidade para novos negócios", destaca Martina Merz, CEO da thyssenkrupp.

De acordo com sua estratégia climática, o Grupo pretende ser climaticamente neutro até 2050, não apenas em seus próprios processos e na energia comprada, mas, também em termos das emissões de seus produtos. Até 2030, tem como objetivo reduzir em cerca de 30% as emissões da produção e na compra de energia, bem como diminuir as emissões do uso dos produtos em 16%.

Em 2019, a inicia...


A thyssenkrupp está, pela quarta vez consecutiva, na lista de líderes globais em proteção do clima divulgada pela entidade CDP, que reconhece um total de 179 empresas internacionais.

O ranking avaliou mais de 8 mil companhias (em uma escala de desempenho de A a F, em que A é a mais alta) em torno da transparência com que comunicam seus dados relevantes para o clima e em relação à formulação de uma estratégia coerente sobre como podem melhorar sua própria "pegada" de carbono e as de seus clientes e fornecedores.

"O ranking confirma que estamos no caminho certo para reduzir, consistentemente, a nossa pegada de carbono na produção e em nossos produtos. Consideramos a proteção climática não apenas uma obrigação, mas também uma oportunidade para novos negócios", destaca Martina Merz, CEO da thyssenkrupp.

De acordo com sua estratégia climática, o Grupo pretende ser climaticamente neutro até 2050, não apenas em seus próprios processos e na energia comprada, mas, também em termos das emissões de seus produtos. Até 2030, tem como objetivo reduzir em cerca de 30% as emissões da produção e na compra de energia, bem como diminuir as emissões do uso dos produtos em 16%.

Em 2019, a iniciativa Science Based Targets reconheceu as metas climáticas da thyssenkrupp como sendo baseadas em ciência.

O CDP realiza sua avaliação anual em nome de mais de 500 investidores com ativos de mais de US﹩ 96 trilhões. A organização possui a coleção mais abrangente do mundo de dados climáticos relacionados às empresas, considerada uma referência no mercado de capitais.

A lista A, deste ano, foi publicada às vésperas do início do Fórum Econômico Mundial de 2020, em Davos, cuja agenda foi fortemente influenciada pela crise climática global.

Exemplos brasileiros
A thyssenkrupp no Brasil também atua para aprimorar continuamente e inovar em processos e soluções, visando a reduzir o uso de ecursos naturais.

Na área de componentes industriais, a fábrica da empresa em Campo Limpo Paulista (SP) é um exemplo de respeito da indústria com a gestão eficiente dos seus recursos hídricos.

Na unidade, há uma estação de tratamento de efluentes industriais, que separa os resíduos, destina-os para empresas especializadas fazerem sua reciclagem e disponibiliza a água limpa para o rio próximo do local.

Com este processo, reduziu em 99% os resíduos provenientes da produção, anualmente. Construiu, também, um tanque de água de reuso que diminuiu para menos da metade o volume de água captado para os processos de resfriamento na fábrica de peças.

Em Poços de Caldas (MG), na fábrica dotada de tecnologias 4.0 são produzidos eixos de comando de válvula capazes de reduzir em até 40% o peso do motor nos veículos.

Com motores mais leves, há uma redução do consumo de combustível e menos emissões poluentes. Inovação chave para um futuro sustentável. O processo altamente automatizado da indústria 4.0 permite designs de peças mais complexos, o que possibilita entregar ao cliente um produto com desenho construtivo mais avançado.

A peça permite que o motor seja menor, emita menos combustível, seja mais leve, com menos custos de materiais, menos plásticos, menos metal, entre outros, onerando menos o meio ambiente.

Na produção dos elevadores, escadas rolantes e soluções de mobilidade aeroportuária a thyssenkrupp também se destaca pela sua fábrica certificada como Carbono Neutro em Guaíba (RS) que, apesar de ter aumentado suas atividades, contabilizou redução de 4,9% na produção de resíduos.

A thyssenkrupp desenvolveu - e já tem diversos clientes utilizando - elevadores com sistema regenerativo de energia, no qual o prédio recebe parte da energia devolvida pelo motor de tração do equipamento, o que reduz em até 35% o consumo energético da operação.