FECHAR
FECHAR
07 de julho de 2020
Voltar

LANÇAMENTOS

New Holland CE traz ao Brasil a nova Série 300 de minicarregadeiras

Disponível em quatro modelos, nova geração traz cabine com comandos reposicionados e novo design, melhor interface e conforto ao operador
Fonte: Assessoria de Imprensa

A New Holland Construction, marca da CNH Industrial que celebra 70 anos de Brasil em 2020, traz ao país a nova Série 300 de minicarregadeiras.

De acordo com a empresa, os clientes da agricultura à construção contam agora com uma cabine com comandos reposicionados e novo design, melhorando a interface e o conforto para o operador.

Segundo Esio Dinis, especialista de marketing produto da New Holland Construction, a avançada tecnologia da Série 300 inclui a exclusiva tecnologia de elevação Super Boom, assento com suspensão e três comandos de operação – hand control, foot control e joystick, resultando em ganhos em ergonomia e tornando a performance das máquinas compactas, que já era alta, ainda maior.

“Nessa nova geração, aplicamos soluções que ajudam a realizar o trabalho com eficiência, maximizando o potencial de cada tipo de aplicação”, afirma Dinis.

“A Série 300 alcança estes resultados por meio de melhorias focadas no cliente, além de um amplo pacote de implementos à disposição. Nossas minicarregadeiras representam a solução indicada em espaços restritos, aliando alta performance e segurança”.

A Série 300 chega ao Brasil em quatro modelos – L318, L320, L325 e L3...


A New Holland Construction, marca da CNH Industrial que celebra 70 anos de Brasil em 2020, traz ao país a nova Série 300 de minicarregadeiras.

De acordo com a empresa, os clientes da agricultura à construção contam agora com uma cabine com comandos reposicionados e novo design, melhorando a interface e o conforto para o operador.

Segundo Esio Dinis, especialista de marketing produto da New Holland Construction, a avançada tecnologia da Série 300 inclui a exclusiva tecnologia de elevação Super Boom, assento com suspensão e três comandos de operação – hand control, foot control e joystick, resultando em ganhos em ergonomia e tornando a performance das máquinas compactas, que já era alta, ainda maior.

“Nessa nova geração, aplicamos soluções que ajudam a realizar o trabalho com eficiência, maximizando o potencial de cada tipo de aplicação”, afirma Dinis.

“A Série 300 alcança estes resultados por meio de melhorias focadas no cliente, além de um amplo pacote de implementos à disposição. Nossas minicarregadeiras representam a solução indicada em espaços restritos, aliando alta performance e segurança”.

A Série 300 chega ao Brasil em quatro modelos – L318, L320, L325 e L330, de 60 hp a 90 hp de potência, capacidade operacional de 818 kg a 1.360 kg e força de desagregação de 24,7 kN a 38,3 kN.

“Os novos modelos mantêm os atributos de força dos anteriores, oferecendo uma melhor ergonomia interna e ganhos nas principais características externas, com maior visibilidade, seja qual for a necessidade de uso”, explica Giovanni Borgonovo, gerente de Marketing da New Holland Construction.

Características
O acesso à cabine é feito em degrau de perfil baixo, reforçando a acessibilidade independente do biotipo do operador.

De acordo com Dinis, a interface da cabine traz novidades, como novos joysticks com botões de fácil ativação, novos interruptores nos painéis laterais, novos dutos de ar, porta-copos, localização das portas USB e auxiliar.

Além disso, há um novo sistema de partida do motor, com interruptor tipo giratório, mais intuitivo. As certificações Rops/Fops protegem a cabine contra capotamentos e a queda de objetos.

O operador, afirma Dinis, conta ainda com um recurso exclusivo para o carregamento de mercadorias, transporte de materiais, abertura de valas, nivelamento e limpeza de terrenos, dentre outras aplicações.

”O braço de cinematismo vertical Super Boom da Série 300 garante altura e alcance de descarga e estabilidade. Enquanto o braço sobe, desloca a carga para a frente e não para trás, resultando em alcance e alturas maiores que permitem descarregar em locais onde as outras não alcançam, como no meio da caçamba alta de um caminhão, por exemplo”, completa.