FECHAR
FECHAR
27 de outubro de 2020
Voltar

Motores elétricos garantem produtividade no agronegócio

Para atender à demanda nas áreas rurais, os motores devem ser resistentes a variação energética, ambientes com poeira e umidade
Fonte: Assessoria de Imprensa

Com a alta produtividade no agronegócio, cresce junto a demanda por infraestrutura e equipamentos que possuam motores elétricos resistentes para diferentes aplicações e produções no campo.

Isso porque a eficiência e a qualidade das operações agropecuárias dependem da mecanização da produção, que contribui expressivamente para o aumento da produtividade. Com isso, os produtores garantem agilidade das ações de plantio e colheita, facilidade para manejo e manutenção das lavouras e produtividade e padronização dos processos.

“Para atender à demanda mundial de alimentos, não basta possuir equipamentos e máquinas, pois eles precisam se adequar à necessidade de cada produtor, com motores elétricos potentes que se moldem as características do campo”, alerta Drauzio Menezes, diretor da Hercules.

Segundo ele, os motores utilizados na agroindústria variam de acordo com a aplicação, podendo ser das linhas IP 21, IP 44 ou IP 55, com série monofásica, bifásica e também trifásica, normalmente especificados conforme os equipamentos, que podem incluir estufas de secagem de grãos, bombas para irrigação em campo, pulverizadores de defensivos, soluções para transferência de l&ia...


Com a alta produtividade no agronegócio, cresce junto a demanda por infraestrutura e equipamentos que possuam motores elétricos resistentes para diferentes aplicações e produções no campo.

Isso porque a eficiência e a qualidade das operações agropecuárias dependem da mecanização da produção, que contribui expressivamente para o aumento da produtividade. Com isso, os produtores garantem agilidade das ações de plantio e colheita, facilidade para manejo e manutenção das lavouras e produtividade e padronização dos processos.

“Para atender à demanda mundial de alimentos, não basta possuir equipamentos e máquinas, pois eles precisam se adequar à necessidade de cada produtor, com motores elétricos potentes que se moldem as características do campo”, alerta Drauzio Menezes, diretor da Hercules.

Segundo ele, os motores utilizados na agroindústria variam de acordo com a aplicação, podendo ser das linhas IP 21, IP 44 ou IP 55, com série monofásica, bifásica e também trifásica, normalmente especificados conforme os equipamentos, que podem incluir estufas de secagem de grãos, bombas para irrigação em campo, pulverizadores de defensivos, soluções para transferência de líquidos e ventilação para conforto animal, dentre outros.

Devido às intempéries e variação energética de áreas rurais, Menezes também salienta a importância de as companhias rurais investirem em motores mais modernos e tecnológicos, desenvolvidos especificamente para trabalharem mesmo nessas situações.

“Para áreas com oscilação de tensão, a Hercules motores desenvolveu a linha de motores padrões — com o chamado click rural — que atendem a tensão entre 110 e 127 V, de 220 até 254 V e de 440 até 508 V”, descreve. “Já para os equipamentos expostos a ambientes com pó e umidade, são direcionados os motores das linhas IP 44 e IP 55, que são resistentes a essas ocorrências.”

Outra alternativa interessante para agronegócio é o investimento em motores com carcaça de alumínio, que possuem diferenciais técnicos que merecem ser levados em conta.

“São mais leves, o que facilita a instalação em locais difíceis e descomplica qualquer tipo de movimentação, além de o alumínio ser um ótimo dissipador de calor, tornando o motor mais eficiente”, explica Menezes.