FECHAR
FECHAR
13 de outubro de 2020
Voltar

Congresso CECE 2020 realça o papel da inovação no crescimento econômico

Congresso anual do Comitê Europeu para Equipamentos de Construção debateu estratégias de recuperação para o setor
Fonte: CECE

No dia 8 de outubro, cerca de 650 participantes de todo o mundo acompanharam o Congresso CECE 2020, que nesta edição – transmitida por streaming desde Estocolmo, na Suécia – trouxe painéis sobre a recuperação econômica pós-covid e as oportunidades oferecidas pela sustentabilidade e pela digitalização na Europa.

"É hora de concentrar-se na recuperação, de olhar para frente e descobrir onde a inovação estabelece o caminho para o crescimento", disse o presidente do CECE (Committee for European Construction Equipment), Niklas Nillroth. “Também é hora de assumir a liderança na tecnologia de construção sustentável e na digitalização, para garantir a realização dos objetivos do Green Deal na Europa. Devemos continuar construindo confiança e permitir a inovação."

O presidente do CECE sublinhou que a indústria da União Europeia está comprometida em permanecer na liderança tecnológica. Para tanto, a compreensão das necessidades dos clientes e fornecedores é fundamental. “Trabalhar de perto com os formuladores de políticas e fortalecer a colaboração com o meio acadêmico leva à construção da confiança e possibilita ainda mais a inova...


No dia 8 de outubro, cerca de 650 participantes de todo o mundo acompanharam o Congresso CECE 2020, que nesta edição – transmitida por streaming desde Estocolmo, na Suécia – trouxe painéis sobre a recuperação econômica pós-covid e as oportunidades oferecidas pela sustentabilidade e pela digitalização na Europa.

"É hora de concentrar-se na recuperação, de olhar para frente e descobrir onde a inovação estabelece o caminho para o crescimento", disse o presidente do CECE (Committee for European Construction Equipment), Niklas Nillroth. “Também é hora de assumir a liderança na tecnologia de construção sustentável e na digitalização, para garantir a realização dos objetivos do Green Deal na Europa. Devemos continuar construindo confiança e permitir a inovação."

O presidente do CECE sublinhou que a indústria da União Europeia está comprometida em permanecer na liderança tecnológica. Para tanto, a compreensão das necessidades dos clientes e fornecedores é fundamental. “Trabalhar de perto com os formuladores de políticas e fortalecer a colaboração com o meio acadêmico leva à construção da confiança e possibilita ainda mais a inovação a serviço da sociedade da UE”, pontuou Nillroth, que também é head global de sustentabilidade e relações públicas da Volvo CE.

Por sua vez, o secretário-geral do CECE, Riccardo Viaggi, lembrou aos participantes a importância histórica do Plano de Recuperação Europeia, que disponibilizou 750 bilhões de euros em novos financiamentos para que as economias reiniciem o investimento e o crescimento. "Precisamos dos Planos de Recuperação nacionais para priorizar projetos de construção e infraestrutura, que criem empregos e prosperidade a nível local" afirmou Viaggi.

Também falando no Congresso, Kerstin Jorna, diretora de mercado interno, indústria, empreendedorismo e PMEs da Comissão Europeia, apontou que a construção desempenha um papel decisivo na economia. “Cerca de 30% de toda a energia utilizada na UE é para aquecimento e resfriamento, enquanto 40% das emissões provêm de edifícios e 30% do total de resíduos são de construção”, frisou.

Neste contexto, disse ela, a Onda de Renovação da UE para melhorar a eficiência energética dos edifícios na Europa é a pedra angular da recuperação da construção. "Convido-os a surfar essa onda, que é a estratégia industrial atual do setor", conclamou Jorna.

Além da estreia de um novo documentário do CECE sobre construção sustentável, houve ainda espaço para projeções econômicas. De acordo com Chris Sleight, diretor de pesquisas para o segmento fora de estrada, a previsão revisada para as vendas globais de equipamentos (em unidades) em 2020 é de -16 %, muito abaixo da previsão de -5% feita antes da pandemia.

“O ambiente econômico está fraco e os desempenhos dependerão das ações de recuperação que serão implementadas pelas autoridades nacionais e regionais para reativar os investimentos e as atividades econômicas”, concluiu Sleight.