07 de fevereiro de 2018

Tendências #

CNH Industrial volta ao lucro em 2017

Grupo apura ganhos de US$ 313 milhões contra prejuízo de US$ 249 em 2016
Fonte: Assessoria de Imprensa

A CNH Industrial anunciou, no último dia 30, receitas consolidadas de US$ 27,361 bilhões para o ano de 2017, um aumento de 10% em relação a 2016.

As vendas líquidas de atividades industriais foram de US$ 26,168 bilhões no ano, elevação de 11% se comparado a 2016.

No quarto trimestre de 2017, as receitas consolidadas foram de US$ 8,102 bilhões, um aumento de 16% em relação ao quarto trimestre de 2016. As vendas líquidas de atividades industriais foram de US$ 7,798 bilhões no quarto trimestre de 2017, 17% acima do quarto trimestre de 2016.

O lucro líquido foi de US$ 313 milhões em 2017 e inclui despesas de US$ 92 milhões devido à desconsolidação das operações venezuelanas da CNH Industrial; uma cobrança de impostos de US$ 123 milhões devido às leis tributárias dos Estados Unidos e uma cobrança de US$ 8 milhões referente ao resgate antecipado de notas.

O lucro ajustado em 2017 foi de US$ 669 milhões, 38,8% a mais em relação aos US$ 482 milhões registrados em 2016.

Segmentos

A empresa que reúne as marcas Case, New Holland, Iveco, Magirus, Steyr e FPT, fabricantes de veículos comerciais, máquinas agrícolas, de construção e motores conseguiu encerrar o ano com resultado positivo apesar do prejuízo líquido de US$ 40 milhões registrado no último trimestre, embora a receita do período tenha aumentado 15,8% na somatória dos últimos três meses, para US$ 8,1 bilhões.

Por segmento, a receita líquida de máquinas agrícolas aumentou 10% no ano, para US$ 11,1 bilhões, graças ao crescimento das vendas em todas as regiões do mundo, exceto na América do Norte. Com US$ 949 milhões, o lucro operacional teve incremento de 16%.

Equipamentos e máquinas de construção registraram faturamento líquido 14% maior em 2017, ao apurar US$ 262 milhões, também devido ao maior volume de vendas nas Américas e Ásia, além de melhores condições em política de preços nas Américas do Norte e do Sul.

O lucro operacional aumentou expressivamente, passando de US$ 2 milhões (2016) para US$ 21 milhões em 2017.

Em veículos comerciais, as vendas líquidas se elevaram em 9%, para US$ 10,4 bilhões, com maior volume de negócios tanto de caminhões quanto ônibus na EMEA, além de maior volume e mix na Ásia-Pacífico e recuperação de vendas de caminhões na América Latina, principalmente na Argentina. Apesar disso, o lucro operacional caiu 18,3%, de US$ 333 milhões para US$ 272 milhões.

A divisão de powertrain encerrou o ano com receita de US$ 4,27 bilhões, quase 18% acima do registrado em um ano antes, quando o resultado foi de US$ 3,70 bilhões. O lucro operacional subiu 56%, de US$ 232 milhões para US$ 362 milhões

Produção editorial: Revista M&T – Desenvolvido e atualizado por Diagrama Marketing Editoral