FECHAR
FECHAR
18 de fevereiro de 2020
Voltar

TENDÊNCIAS

CEO do Grupo Manitou fala sobre as tendências do mercado de plataformas aéreas durante a IPAF

A empresa, fabricante de máquinas para movimentação de materiais para todo tipo de terreno, teve a oportunidade de expor suas máquinas e debater temas relacionados à segurança
Fonte: Assessoria de Imprensa

No começo de fevereiro, o CEO do Grupo Manitou, Michel Denis, participou de um evento importante para o mercado de Plataformas Aéreas de Trabalho da América Latina, a IPAF.

A empresa, fabricante de máquinas para movimentação de materiais para todo tipo de terreno, teve a oportunidade de expor suas máquinas e debater temas relacionados à segurança.

O executivo falou sobre as tendências do mercado e as novidades da Manitou no mundo e no Brasil, com foco nas novidades que estão por vir, como projetos de inovação, sustentabilidade e redução de consumo das máquinas.

“A tendência da América Latina é a retomada nos segmentos de plataformas e manipuladores nos próximos anos. Globalmente, o crescimento será impulsionado pela forte demanda na China”, afirma Denis.

De 2018 para 2019, o mercado mundial de plataformas cresceu 3,3%, e a expectativa para 2020 é que siga a mesma tendência e cresça 5,3%. De acordo com Denis, a Manitou continuará focada em atender as demandas de mercado quanto à Segurança e Tecnologia.

“Queremos expandir nossa atuação em todos os continentes, melhorar nossos prod...


No começo de fevereiro, o CEO do Grupo Manitou, Michel Denis, participou de um evento importante para o mercado de Plataformas Aéreas de Trabalho da América Latina, a IPAF.

A empresa, fabricante de máquinas para movimentação de materiais para todo tipo de terreno, teve a oportunidade de expor suas máquinas e debater temas relacionados à segurança.

O executivo falou sobre as tendências do mercado e as novidades da Manitou no mundo e no Brasil, com foco nas novidades que estão por vir, como projetos de inovação, sustentabilidade e redução de consumo das máquinas.

“A tendência da América Latina é a retomada nos segmentos de plataformas e manipuladores nos próximos anos. Globalmente, o crescimento será impulsionado pela forte demanda na China”, afirma Denis.

De 2018 para 2019, o mercado mundial de plataformas cresceu 3,3%, e a expectativa para 2020 é que siga a mesma tendência e cresça 5,3%. De acordo com Denis, a Manitou continuará focada em atender as demandas de mercado quanto à Segurança e Tecnologia.

“Queremos expandir nossa atuação em todos os continentes, melhorar nossos produtos, investir em inovação para trazer maior segurança e produtividade aos clientes e expandir a tecnologia em todas as linhas já existentes”, garante Denis.

O executivo aproveitou o evento para compartilhar com o mercado as iniciativas da Manitou relacionadas à redução de consumo de combustível e à conectividade de seus equipamentos.

Segundo o executivo, as informações geradas pela tecnologia embarcada são muito valiosas e permitem que a empresa avalie com mais propriedade as necessidades do cliente em termos de manutenção, por exemplo.

“Dessa forma, conseguimos garantir ao cliente uma maior produtividade e redução de custos. Ele paga pelo que usa”, explica Denis.

Oxigen by Manitou
A nova marca da Manitou é concedida para quem utiliza energia alternativa ao diesel, permitindo uso permanente ou temporário no modo de Emissão Zero.

Essa tecnologia, afirma o executiv, reduz o impacto ambiental, o consumo de emergia e o custo total de propriedade da máquina (TCO).

“O modelo de plataforma 200 ATJ-E já é parte integrante da nova marca Oxigen”, anuncia Denis.

Ainda na linha de sustentabilidade, a empresa adotou os programas Reduce TCO Program, ferramenta de cálculo do Custo Total de Propriedade da máquina, Reduce Fuel Eco-Program, ferramenta de cálculo para o Consumo de Combustível, e Reduce Risks, uma Biblioteca Multimídia com uma grande variedade de vídeos sobre como usar as máquinas, orientações de aplicação e campanhas de segurança e prevenção.

“Desde março de 2019, utilizamos a Norma Europeia para medir o consumo de combustível das nossas máquinas. Sempre tivemos essa preocupação e isso é cada vez mais valorizado pelo mercado”, finaliza Denis.