FECHAR
FECHAR
11 de junho de 2019
Voltar

CENÁRIO

BNDES libera linha de R$ 30 mil para caminhoneiro

Poderão recorrer ao crédito caminhoneiros autônomos e cooperativas de transporte. Como já havia sido anunciado em abril, os empréstimos não poderão passar de R$ 30 mil por cliente
Fonte: Agência Estado

Caminhoneiros autônomos já podem recorrer ao BNDES para pedir empréstimos na linha BNDES Crédito Caminhoneiro, para financiar custos de manutenção, que foi anunciada em abril como parte do conjunto de medidas do governo federal para evitar paralisações semelhantes às ocorridas em maio do ano passado. Os juros ficarão, em média, em 12% ao ano.

Poderão recorrer ao crédito caminhoneiros autônomos e cooperativas de transporte. Como já havia sido anunciado em abril, os empréstimos não poderão passar de R$ 30 mil por cliente.

As operações da nova linha de crédito serão indiretas, ou seja, repassadas por bancos comerciais que operem com o BNDES – esses bancos ficam responsáveis pela aprovação do financiamento e pela exigência de garantias.

A taxa de juro final é formada pelo "custo" financeiro – a Taxa Fixa do BNDES (TFB), a Taxa de Longo Prazo (TLP) ou a taxa básica Selic (hoje em 6,5% ao ano) – mais a taxa de administração do BNDES, de 1,45%, somada à taxa cobrada pelo agente repassador.

Segundo exemplo disponível no site do BNDES, o custo financeiro fica em 7% ao ano e a taxa média do agente é de 3% ao ano – uma estimativa final de 11,86% ao ano.

Caso um caminhoneiro pegue emprestado todos os R$ 30 mil de uma vez nessas condições, com o prazo máximo de dois anos e seis meses, incluindo uma carência de no máximo seis meses, o financiamento resultará em 24 prestações mensais de R$ 1.482,67, nas contas do coordenador do MBA em Finanças do Ibmec-RJ, Filipe Pires. Ou seja, o custo total ficará em R$ 35.584,08.

Na avaliação da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), o financiamento poderá ser um "respiro".

Já Marlon Maues, assessor de planejamento e desenvolvimento da entidade, ressalta que o limite de R$ 30 mil é baixo.

“O gasto com manutenção de um caminhão usado (mais de cinco anos, veículo tipicamente dirigido pelos autônomos) pode chegar a R$ 50 mil ao ano, comenta.