FECHAR
FECHAR
05 de dezembro de 2012
Voltar
Estudo

Vendas de equipamentos devem fechar ano com recuo de 19%

Pesquisa mostra queda das vendas em vários setores, mas apresenta perspectiva otimista com PPPs e medidas de estímulo à economia

Um dos principais pontos apresentados na 6ª edição do Estudo Sobratema do Mercado Brasileiro de Equipamentos para Construção – lançada em novembro revela que, em comparação com o ano passado, as vendas de equipamentos empregados no setor da construção devem ter uma redução de 19% em 2012, em um recuo significativo relacionado à forte queda nas vendas de caminhões rodoviários para o setor de construção, que tradicionalmente respondem por 40% a 50% do resultado final da comercialização de equipamentos no segmento.

O Estudo aponta os principais resultados de vendas do setor para os anos de 2012-2013, além de realizar uma projeção para os próximos cinco anos. Além disso, o estudo também situa o mercado brasileiro de equipamentos para construção dentro do contexto internacional, relacionando o comportamento da demanda interna à crise global e aos novos cenários para a indústria de máquinas.

Oferecendo parâmetros importantes para as empresas, o governo e a mídia, o trabalho abrange os principais equipamentos da Linha Amarela (terraplenagem e compactação), além de gruas, guindastes, compressores portáteis, plataformas aéreas, manipuladores telescópicos, tratores agrícolas e caminhões utilizados por construtoras.

Segundo o presidente da Sobratema, Afonso Mamede, esta é a primeira vez que o estudo mostra a evolução do mercado de equipamentos de cinco países da América do Sul: Argentina, Chile, Colômbia, Peru e Venezuela.

Redução

De acordo com o Estudo, o recuo na venda de caminhões já era esperado, visto que a área alcançou números recordes em 2011 com a antecipação de compra devido à introdução do Proconve 7 (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores), realizada no início de 2012.

Especificamente em relação aos equipamentos da Linha Amarela, o Estudo mostra que deve haver uma redução de 3% no ano, em comparação com 2011. No entanto, o resultado brasileiro é melhor do que o obtido no exterior, no qual o recuo médio foi de 9%.

Em 2011, o segmento alcançou um recorde histórico, com mais de 30,5 mil equipamentos comercializados. Para este ano, a expectativa é que a quantidade de máquinas vendidas chegue a aproximadamente 29,7 mil. Por isso, segundo o presidente da Sobratema, apesar da redução no número de vendas desses equipamentos no país, o desempenho na Linha Amarela pode ser considerado significativo.