FECHAR
FECHAR
21 de julho de 2011
Voltar
Ferramentas de Penetração de Solo

Um tipo para cada aplicação

Para cada atividade, as ferramenta de penetração do solo (FPS) contam com diferentes designs projetados para a maior produtividade e menor custo de operação do equipamento

A aplicação das ferramentas de penetração do solo (FPS) está diretamente ligada à destinação a qual será submetido o equipamento portador, como a movimentação de solos ou rochas, e às suas características operacionais, como o torque e potência. Quando utilizados de forma inadequada, esses materiais de desgaste – tais como bordas, cantos, segmentos, dentes monoblocos, adaptadores, pontas, suportes e unhas – podem comprometer significativamente o desempenho do equipamento e a sua produtividade.

A correta especificação das FPS também resulta em menor consumo de combustível e redução de esforços para o equipamento, com impacto positivo em seu motor, estrutura e sistema hidráulico. Por esse motivo, os especialistas do setor advertem que sua escolha não proporciona apenas ganhos de produtividade – com o melhor fator de enchimento da caçamba, por exemplo – mas também contribui para a redução dos custos de manutenção e operação.

Apesar de os fabricantes de equipamentos indicarem o tipo de ferramenta adequada para cada operação, algumas variações devem ser consideradas de acordo com o serviço a ser executado, principalmente em relação à geometria das pontas e até mesmo das lâminas (bordas cortantes) de caçambas. “Em geral, as FPS de trator de esteiras, motoniveladoras e retroescavadeiras têm desenhos semelhantes, com pouca variação”, adianta Roberto Cardia de Oliveira, gerente de marketing e membro da equipe de pesquisa e desenvolvimento da Ecoplan. “As maiores variações em termos de geometria da ponta das FPS se encontram nas carregadeiras e escavadeiras”, ele complementa.

Peças para escavadeiras
No que diz respeito às escavadeiras, Oliveira sintetiza que há quatro tipos de pontas mais utilizadas: a standard, a reforçada, a super-reforçada e a de alta penetração (veja mais detalhes no quadro ao lado). As laminas das escavadeiras, todavia, têm recebido modificações nos últimos cinco anos, conforme ressalta Marco Minoru Sassaya, gerente de vendas de peças fundidas da Sinto. “Anteriormente, só se utilizavam as lâminas retas, mas as com bico truncado estão se popularizando rapidamente, pois seus dentes centrais ficam mais avançados do que os laterais e, com isso, há maior uniformidade no desgaste deles.”

Segundo o especialista da Sinto, nas escavadeiras dotadas de lâmina reta os dentes laterais desgastam mais rapidamente, principalmente em operação com material de alta abrasividade. Esse tipo de lâmina, todavia, é mais indicado para escavadeiras de grande porte, de classe de 60 t ou mais, que encontram maior utilização em pedreiras e mineradoras.