FECHAR
FECHAR
12 de maio de 2017
Voltar
Intermodal 2017

Sumidade em transporte

Corredores lotados da 23a Intermodal South America surpreendem até os mais céticos, prenunciando o reaquecimento do comércio exterior no segundo semestre
Por Camila Waddington

Sob a alcunha de maior evento das Américas direcionado aos setores de logística e transportes, a Intermodal South America mais uma vez ocorreu em um momento marcado pela turbulência político-econômica no país. Não por outro motivo, a expectativa trazia roupagem sóbria, sem grandes adornos para celebração.

Mas a 23a edição da feira surpreendeu até mesmo os mais cautelosos. Organizada entre os dias 4 e 6 de abril em São Paulo, neste ano a feira recebeu mais de 25 mil visitantes, a maioria de passagem única, sendo disputados por mais de 400 expositores oriundos de 26 países de todos os continentes. Apesar dos números mais modestos – afinal, em 2016 foram 600 expositores e o mesmo volume de visitantes –, é importante lembrar que, quando de sua realização no ano passado, a crise não havia alcançado os patamares em que está hoje.

Já na cerimônia de abertura, o evento deu o tom do que viria nos três dias de sua realização. Autoridades de todo o mundo, como Geert Bourgeois, ministro-presidente de Flandres, e Ana Paula Vitorino, ministra do Mar de Portugal, uniram-se a Maurício Quintella, ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, para apresentar suas perspectivas sobre o evento – e, claro, destacar sua importância para o setor. O presidente da Abifer (Associação Brasileira da Indústria Ferroviária), Vicente Abate, presenciou o discurso e afirma ter recebido bons retornos do ministro. “Ele tem uma postura muito positiva, proativa”, declarou.

INVESTIMENTOS

De fato, malgrado os atrasos nos processos de licitações, o que se deve à “burocracia que temos neste país”, o dirigente da Abifer vê com bons olhos o que vem acontecendo no país. “A questão das PPI’s, por exemplo, inclui três projetos cujas audiências para definir os critérios do edital devem acontecer ainda neste semestre: as ferrovias Ferro-Grão, Norte-Sul e FIOL (Ferrovia de Integração Oeste Leste)”, destacou.

De acordo com ele, a primeira estava prevista ainda para abril, mas, ao que tudo indica, deve acontecer mesmo agora em maio, assim como a audiência sobre a Norte-Sul. A FIOL, por sua vez, embora ainda não conste qualquer menção sobre possíveis datas, deve entrar no mesmo ritmo das outras duas. “É algo muito promissor”, afirma Abate. “Isso ocorrendo, acredito que ainda no terceiro trimestre saia o edital e, até o fim do ano, estes trechos sejam leiloados.”