FECHAR
FECHAR
27 de outubro de 2011
Voltar
Empresa

Sany amplia a linha produzida no Brasil

A produção local da família para bombeamento de concreto começa com bombas-lança de 32 m e 36 m de alcance

A fabricante chinesa Sany deu mais um passo para a consolidação das suas operações no Brasil. Depois de anunciar a produção de escavadeiras hidráulicas e guindastes veiculares no país, a empresa agora se lança à montagem de equipamentos para concretagem. Inicialmente, ela pretende fabricar quatro modelos de bombas estacionárias e bombas-lança, mas a linha deverá ser ampliada nos próximos dois anos, para incluir nesse portfólio também as centrais de concreto, os mastros de bombeamento e autobombas.

Segundo Romano Rosa, vice-presidente sênior da Sany do Brasil e responsável pela área de equipamentos para concretagem, inicialmente os equipamentos serão apenas montados em regime CKD na unidade de São José dos Campos (SP), onde a empresa já vem produzindo as escavadeiras hidráulicas e guindaste na mesma modalidade. Quando a fábrica de Jacareí (SP) entrar em operação, em 2013, todos os equipamentos passarão a ser produzidos nas novas instalações, com índices de nacionalização que permitam seu financiamento pela linha de crédito Finame, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A informação, que já havia sido antecipada na edição de maio da Revista M&T (nº 146, página 84), foi divulgada para o mercado e a imprensa em geral no fim do mês de agosto. Romano Rosa diz que a opção por produzir as bombas de concreto se deve ao fato de 80% das vendas desses equipamentos serem financiadas pelo Finame. “Além disso, a Sany tem se posicionado mundialmente com a instalação de fábricas nos locais onde decidiu praticar a sua internacionalização”, ele afirma.

Características do equipamento

Para disputar o mercado, a fabricante chinesa apostas suas fichas na bomba-lança de 36 m de alcance, o carro-chefe da linha, que é apresentada como a primeira do mercado com essa dimensão a ter cinco seções de lança. De acordo com Rodrigo Satiro, gerente regional de vendas da linha de concreto da Sany do Brasil, a vantagem do equipamento é que sua parte traseira ocupa menos espaço na obra e, diferentemente dos outros modelos da mesma categoria, permite que o veículo trafegue pelas estradas e demais vias públicas sem a necessidade de licença especial.

“A bomba-lança de 36 m, dotada de lança com cinco estágios, deve ser uma das vedetes da Sany no Brasil”, destaca Satiro. A baixa restrição ao deslocamento do veículo se deve ao fato de o conjunto de braços não extrapolar os limites estabelecidos pela legislação de trânsito. O especialista diz que isso é possível porque o equipamento, assim como o modelo menor, de 32 m de alcance vertical, pesar menos de 29 t, que é o limite estabelecido para veículos de quatro eixos trafegarem pelas vias brasileiras.