FECHAR
FECHAR
08 de novembro de 2017
Voltar
Empresa

Passos para a consolidação

Buscando se enraizar no país, a Indeco acaba de implantar uma filial em Campinas que, a partir de 2020, pode fabricar produtos como rompedores, tesouras, garras e outros equipamentos

Especializada na fabricação de equipamentos como rompedores hidráulicos, martelos demolidores, placas compactadoras, garras selecionadoras, braços posicionadores, tesouras, trituradores e pinças, dentre outros, a fabricante italiana Indeco inicia uma nova etapa no mercado brasileiro com a inauguração de uma filial no país, localizada estrategicamente em Campinas, no interior de São Paulo.

Inaugurada em outubro, a nova instalação inicialmente tem como objetivo atender às demandas do mercado brasileiro de forma mais efetiva, podendo vir no médio prazo até mesmo a sediar uma base produtiva. “O Grupo Indeco tem um projeto em andamento para globalizar sua marca, sendo que, dentro da América Latina, o Brasil é um expoente máximo de mercado”, comentou Roberto Santoro, gerente da área de exportação da empresa.

Décima subsidiaria do grupo em âmbito global, a estrutura operacional da nova filial conta com um espaço de 1.300 m², distribuídos por áreas para armazenagem de produtos, prestação de serviços e escritórios. De acordo com a companhia, que foi fundada em 1976 em Bari, o investimento nas novas instalações ultrapassa a marca de 1 milhão de euros, alocados principalmente em logística de atendimento. “A princípio, o nosso foco principal é o pós-venda, trabalhando com importação de produtos, especialmente peças de reposição”, detalhou Luiz Carlos Ginefra Toni, diretor da Indeco Brasil, subsidiária que atua no país há 25 anos por meio de representantes comerciais. “Atualmente, a composição do nosso estoque chega a seis mil itens.”

OTIMISMO

Além do pós-venda, nesta primeira etapa de expansão a Indeco Brasil também pretende investir no fortalecimento de sua atuação com treinamento e formação de mão de obra, tanto em relação ao distribuidor quanto ao cliente final, além de trazer novas práticas ao mercado brasileiro, principalmente no segmento de demolição e reciclagem, um dos principais focos da marca ao redor do mundo. “O número de clientes da Indeco no Brasil é muito grande, sendo que agora eles passarão a contar com um suporte mais intenso por meio da rede de distribuidores e da própria subsidiária brasileira”, garantiu Toni.

Para os próximos anos, a expectativa da empresa no Brasil – especialmente em setores como infraestrutura, mineração e reciclagem – é otimista, devido à possibilidade de que os leilões de modais como portos, aeroportos, rodovias, ferrovias e outros finalmente saiam do papel, por meio do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do governo federal. “Com a queda abrupta de mercado, além da entrada de marcas asiáticas, acabamos perdendo espaço no país, registrando uma participação em torno de 7%”, disse Toni. “Mas, estamos otimistas e, até o final de 2020, temos como objetivo elevar a nossa participação para 20% do faturamento global do Grupo, que hoje gira em torno de 30 milhões de euros.”