FECHAR
FECHAR
18 de outubro de 2019
Voltar
Escavadeiras

O protagonismo do operador

Em tempos de automatização, a competência do operador permite explorar plenamente os benefícios das avançadas soluções tecnológicas, que se renovam em um ritmo cada vez mais rápido

Embora em muitas obras as diretrizes e condições do trabalho sejam definidas pelo controle da operação, é o operador da escavadeira que sempre precisa ter feeling para identificar e resolver as diferentes situações que invariavelmente surgem durante as atividades. No limite, como ressalta Ricardo Zurita, gerente de marketing de produto da Komatsu, a competência do operador é o fator decisivo para se atingir a alta produtividade na operação de máquinas pesadas. “Indubitavelmente, a tecnologia dos equipamentos contribui sobremaneira para o melhor desempenho atingido, porém a competência humana é o diferencial”, considera o executivo.

Até porque, como lembra Gilson Capato, diretor comercial da Volvo CE no Brasil, as imprevisibilidades podem ocorrer em diferentes ambientes. “Mesmo que a tecnologia ajude o operador a ser mais produtivo, a sua competência ainda é um fator crucial para obter maior produtividade de uma escavadeira”, ele reforça, destacando ainda que a tecnologia embarcada nos equipamentos de construção são recursos para aumentar a produtividade e a segurança, além de reduzir os custos operacionais. “Desde que sejam utilizados de forma correta”, acresce Capato.

O gerente de suporte ao cliente da Link-Belt, Guilherme Borghi, concorda e complementa: “Em uma significativa parte dos casos, as decisões e a experiência do operador são requeridas ou suficientes para um trabalho seguro e uma realidade com um custo satisfatório”, afirma.

Profissional treinado consegue extrair o máximo do equipamento, ressaltam especialistas

A tecnologia, diz ele, é um conceito muito amplo, que pode ser definido em diversas frentes, desde inteligência hidráulica nas bombas, passando pelo controle de fluxo em cada aplicação até telemetria de monitoramento, dentre outros itens embarcados. Seja como for, continua Borghi, fatores como segurança, economia de combustível (e eficiência de consumo), alta produtividade e durabilidade são apenas pontos de partida para qualquer escavadeira ser considerada eficiente. “Dependendo da aplicação e da área de trabalho, temos diversas condições que podem favorecer a produtividade, diretamente relacionadas aos conceitos de projeto”, diz. “Mas as escavadeiras atuais possuem tecnologias que, além de auxiliarem nas decisões do operador, também garantem produtividade e velocidade nos ciclos com total segurança. E isso tudo já vem embarcado na máquina como item de série.”