FECHAR
FECHAR
31 de outubro de 2014
Voltar
Pavimentação

Nível avançado

Independentemente do porte dos equipamentos, fabricantes exaltam o desenvolvimento tecnológico obtido pela indústria em relação às pavimentadoras e misturas asfálticas

No segmento de roadbuilding, a tecnologia é um diferencial que – cada vez mais – pode representar uma maior participação de mercado aos fabricantes. Para aferir isto, basta olhar para o segmento de pavimentadoras, no qual as mesas de distribuição da massa asfáltica figuram com destaque nesse quesito.

Na Atlas Copco, por exemplo, o sistema de mesa Plus permite larguras de até 9 m com extensões mecânicas de um sistema de compactação posicionado logo na saída da mesa, oferecendo compactação de até 97%, dependendo do tipo de material utilizado.

“Como o tipo de aquecimento da mesa também é um ponto importante, oferecemos a solução a gás liquefeito de petróleo (GLP) e elétrica, ambos de extrema eficiência graças ao isolamento térmico da mesa, que garante aquecimento rápido e uniforme das placas alisadoras e das barras do tamper”, diz Marcos Bueno, especialista da Atlas Copco em pavimentadoras, complementando que tanto a mesa a gás quanto a elétrica possuem controle automático de temperatura, que desliga o sistema automaticamente quando atinge o grau ideal. “Tudo isso, sem a intervenção do operador”, salienta.

Na avaliação de Gilvan Medeiros Pereira, diretor da Ammann, as pavimentadoras demandam mesas que possam adequar a largura e a espessura hidraulicamente, conforme a necessidade do projeto.

Além disso, as máquinas devem ser controladas por sensores eletrônicos de nivelamento. “O controle hidráulico de largura é necessário, pois inúmeras vezes, durante a aplicação de asfalto, há alteração imediata, devido a alguns obstáculos, como canteiros”, afirma. “Já os sensores de nivelamento trabalham diretamente na espessura de aplicação, por isso o controle deve ser hidráulico, deixando a rodovia sem ondulações e com o máximo de conforto.”

No caso da Bomag, o gerente de engenharia Elton Luís Antonello é enfático ao pontuar que as mesas de suas pavimentadoras são dotadas de chapas alisadoras de material. Trata-se de um componente de alta dureza e resistência ao desgaste, que integra as mesas aquecidas a GLP ou por eletricidade. “Junto a isso, há um sistema de distribuição inteligente da massa asfáltica, localizado na parte frontal da mesa e dotado de sensores que definem o trabalho dos transportadores e alimentadores de material para a mesa”, descreve.

Já Jandrei Luis Goldschmidt, gerente de marketing da Ciber, detalha o diferencial das mesas elétricas presentes nas pavimentadoras da marca. Segundo ele, além de dispensarem o botijão usado no caso do aquecimento a GLP, garantem aquecimento gradual e uniforme, agregando qualidade à execução do pavimento. “Nossas pavimentadoras também trazem o dispositivo tamper, que auxilia no nivelamento do processo”, enfatiza.