FECHAR
FECHAR
05 de agosto de 2011
Voltar
Mercado de Equipamentos

Mercado em expansão atrai players mundiais

Para atender ao R$ 1,2 trilhão de investimentos previstos para obras de infraestrutura no Brasil, fabricantes mundiais de equipamentos anunciam construção ou ampliação de fábrica no País

As vendas de equipamentos de construção cresceram 70% em 2010 quando comparadas ao ano anterior, De acordo com a Sobratema, cerca de 70 mil novas máquinas ingressaram no mercado brasileiro e, para os próximos anos, as projeções também são animadoras: até 2015 deve haver crescimento constante no volume anual de unidades vendidas. Em 2011, por exemplo, a expectativa é que 78 mil unidades sejam agregadas, o que representa um crescimento superior a 10% sobre o volume vendido em 2010. Para os próximos quatro anos, a estimativa é que se dobre o parque existente no País, ultrapassando 900 mil unidades.

O volume crescente de máquinas pesadas comercializadas é reflexo dos investimentos aplicados em grandes obras de infraestrutura nos últimos anos, caso dos Complexos Portuários de Pecém (CE) e Suape (PE), da Ferrovia Transnordestina, do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e da Transposição do Rio São Francisco, entre outros. Além desses projetos que já foram finalizados ou estão em andamento, há um volume substancialmente maior de obras de grande porte que ainda não foram iniciadas e que demandarão diversos equipamentos. É o caso da Usina Hidrelétrica de Belo Monte (PA) e das obras de mobilidade urbana para atender à Copa do Mundo e às Olimpíadas, o que nos remete a um cenário favorável para o setor nos próximos anos. Os incentivos do BNDES, por meio do Finame para os fabricantes de máquinas com instalações locais e um nível mínimo de nacionalização, somam-se a esses fatores. Em resumo: há espaço e oportunidades para a implantação de grandes players no Brasil.

A Case New Holland (CNH), que investiu recentemente R$ 1 bilhão na ampliação da fábrica de colheitadeira de grãos a rotor e na criação de um novo centro de distribuição de peças em Sorocaba (SP), anunciou outro aporte de R$ 1,7 bilhão para ampliar outras quatro fábricas no Brasil, cujo o investimento deverá ser realizado até 2014.  Com isso, a empresa consolida o maior investimento em ampliação fabril para o setor de equipamentos pesados realizado no Brasil nos últimos anos e atesta o otimismo por parte dos fabricantes desse segmento.

A Caterpillar, por sua vez, adquiriu fábrica em Campo Largo (PR), onde abrigará uma nova linha de produção, com 50 mil m² de área construída e destinada à montagem de retroescavadeiras modelo 416E e de carregadeiras de rodas modelos 924H e 938H. Esses dois últimos equipamentos são produzidos na fábrica de Piracicaba (SP) atualmente e serão transferidos para a nova unidade até 2012. Aliás, ao mesmo tempo em que ocorrer a transferência das linhas de produção para a nova fábrica, a empresa irá remodelar a planta de Piracicaba, visando uma futura expansão de outras linhas de produção de equipamentos. “Até o ano que vem, investiremos US$ 180 milhões, os quais serão aplicados em parte na nova fábrica e em parte na modernização da unidade industrial de Piracicaba”, informa Luiz Carlos Calil, presidente da Caterpillar.