FECHAR
FECHAR
26 de setembro de 2011
Voltar
Lançamento

Marca brasileira com peças importadas

Com projeto próprio de equipamentos, cujas peças e conjuntos são fornecidos por fabricantes chineses, em regime O&M, a Maxxor lança seis modelos no mercado brasileiro

Um novo competidor iniciou a comercialização de seus produtos no país, em busca de uma fatia do aquecido mercado brasileiro de equipamentos para construção. Trata-se da brasileiríssima Maxxor, um projeto do grupo Lino de Almeida, que atua na distribuição de combustível e máquinas pesadas, entre outros negócios, e está investindo R$ 35 milhões nessa empreitada. “Não estamos trazendo simplesmente outra marca chinesa para disputar o mercado, mas equipamentos projetados e desenvolvidos para atender à demanda dos usuários brasileiros”, diz Luiz C. G. Toni, diretor da Maxxor Brasil.

Ele explica que a estratégia da empresa está concentrada no desenvolvimento dos equipamentos e da rede de atendimento aos clientes. O fornecimento das máquinas fica por conta de parceiros chineses, em regime O&M, de acordo com o projeto estabelecido pela companhia. “Temos contrato com parceiros de alto nível, entre os top five da indústria chinesa, para a oferta de equipamentos que sejam competitivos não apenas no preço, mas também na confiabilidade e no seu desempenho”, acrescenta Toni.

Por conta desses contratos, os fornecedores entregam os equipamentos dentro das especificações estabelecidas pela Maxxor, e a empresa faz a auditoria de todo o processo, incluindo o controle de qualidade, diretamente na linha de produção dos parceiros. “Isso nos permite oferecer produtos com garantia de fábrica.” Toni explica que o projeto contempla a utilização de componentes de padrão global, como motor Cummins, bombas Kawazaki e powertrain da marca Carraro, entre outros.

Com essa proposta, a empresa já está oferecendo no mercado uma linha composta por uma escavadeira hidráulica de 22 t de peso, uma minicarregadeira, uma motoniveladora de 170 HP de potência e um rolo compactador de 12 t (um cilindro). Completando a linha, a Maxxor também conta com duas pás carregadeiras, sendo uma com caçamba de 2,5 jd3 de capacidade e outra de 4 jd3, e uma retroescavadeira de 100 HP, com tração 4x4.

Estrutura de atendimento

Com a relação cambial favorável às importações, que facilita a oferta de equipamentos a um preço competitivo para o cliente, a empresa quer conquistar uma fatia do segmento de máquinas de movimentação solos. O primeiro lote de produtos, com 80 unidades, já chegou ao Brasil em junho último e o objetivo é encerrar o primeiro ano de operações com 180 equipamentos vendidos.