FECHAR
FECHAR
18 de novembro de 2013
Voltar
Empresa

LBX vende a 50ª escavadeira no país

Obtido em menos de um ano, resultado consolida atuação da empresa, que já anuncia investimento de US$ 7 milhões nas operações brasileiras e pode instalar fábrica no país

Com presença efetiva no Brasil desde maio de 2012, a fabricante norte-americana LBX já comercializou 50 escavadeiras no país e, frente ao excelente desempenho obtido, já anuncia um investimento de US$ 7 milhões nas operações para os próximos dois anos.

As máquinas da LBX estão presentes nos mercados de construção civil, infraestrutura e mineração do país, além de algumas máquinas adaptadas por terceiros com cabeçotes processadores e garras para uso florestal.

Com quase 140 anos de experiência no mercado mundial, a Link-Belt Excavator Company (LBX) iniciou as operações no Brasil apenas dois anos após sua incorporação pelo grupo japonês Sumitomo, em 2010. Com isso, a empresa trabalha sob orientação da matriz em Lexington, nos EUA, e da fábrica no Japão, atuando em conjunto na avaliação, projeto e aprimoramento das linhas de escavadeiras. “Há uma grande sinergia entre os técnicos e engenheiros das unidades, realizando testes comparativos de campo em conjunto e em diversos países onde as máquinas são distribuídas, inclusive no Brasil”, aponta Kurt Engelhart, country manager da LBX do Brasil.

Segundo ele, um exemplo dessa cooperação foi o “Clinic Test”, um comparativo entre escavadeiras realizado em março deste ano no campo de provas de Itu (SP). Lá, uma equipe de engenheiros brasileiros, japoneses e norte-americanos comparou quesitos de produtividade da escavadeira 210 X2 – atual líder de vendas da marca no país com escavadeiras dos sete principais concorrentes. Os quesitos avaliados incluíram a precisão dos comandos, consumo de combustível, produtividade, velocidade de operação e conforto do operador.

PLANO ESTRATÉGICO

Na operação brasileira, a LBX tem sede na cidade de Sorocaba (SP), onde se encontra a estrutura responsável pela equipe de vendas, marketing, pós-vendas, peças de reposição e treinamentos. Segundo Engelhart, a rede de distribuidores autorizados está em contínuo crescimento, principalmente nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, nas quais a companhia e seus parceiros estão no momento investindo em estrutura e capacitação para atendimento de pós-vendas. O plano estratégico de consolidação no país também inclui a montagem de uma fábrica. Mas ainda não há prazo definido para isso. “Viemos para o Brasil com o objetivo de fincar raízes”, complementa o country manager. “A longevidade de nossos negócios é algo que está em nosso DNA, é parte de nossa tradição organizacional.”