FECHAR
FECHAR
09 de outubro de 2014
Voltar
Rental

Impulso em boa hora

Empresários de locação de equipamentos móveis criam nova entidade para assegurar representatividade frente aos órgãos públicos e impulsionar o crescimento do setor

Com o crescimento obtido nos últimos anos, o setor de locação de máquinas e equipamentos móveis vem amadurecendo a largos passos no país. E a mais recente novidade tem cunho essencialmente institucional.

Instaurada em junho, durante a realização da M&T Peças e Serviços, a Associação Brasileira dos Sindicatos, Associações e Representantes dos Locadores de Equipamentos, Máquinas e Ferramentas (Analoc) foi criada para agregar os agentes do setor de locação em torno de uma entidade representativa de âmbito nacional.

Segundo o presidente da Associação, Reynaldo Frahia, além dos assuntos pertinentes ao setor, o objetivo também é incentivar a criação de novas entidades nos segmentos em que ainda não existe representatividade. “No nosso caso, é uma forma de o rental mostrar a força que tem para o mercado e buscar alternativas necessárias para garantir um melhor desempenho”, afirma.

Como explica Frahia, a Analoc constitui o primeiro passo para a formação futura de uma necessária “Federação Nacional da Locação”, que trará maior legitimidade e representatividade à classe ao constituir-se como representante legal perante os órgãos públicos. “Mas, para isso, é preciso antes obter cinco cartas sindicais de locadores para a formação da Federação, o que até agora ainda não temos”, diz ele.

ESFORÇOS

Nesse primeiro momento, conforme relata o presidente da Analoc, o intuito é mais de agregar todas as entidades, concentrando os esforços na busca de soluções para os problemas existentes no sistema, além de auxiliar os sindicatos que estão sendo criados em todo o país.

De acordo com João Carvalho, presidente do Sindicato das Empresas Locadoras de Equipamentos, Máquinas e Ferramentas de Pernambuco (Sindileq/PE), a Analoc surge em um momento importante para o setor de locação. Afinal, ao longo dos últimos sete anos a área de rental foi marcada por um crescimento acelerado, mas agora vive o impasse da acomodação e, por isso, requer uma reorganização mais aprofundada. “Em um período de estabilização como agora, nada pode ser melhor do que consolidar a classe em todo o território nacional”, diz ele.

Segundo Carvalho, a Associação deve atuar para unificar a linha de pensamento das unidades regionais das associações, reduzindo a distância geográfica entre os estados para garantir uma voz ativa a todas elas. “No Brasil, o mercado de locação está em fase de maturação e as empresas ainda estão aprendendo a lidar com os altos e baixos do mercado”, avalia. “Por isso, a criação da Associação vem em um momento singular para a classe, que conjuga instabilidade econômica com novos entrantes no mercado.”