FECHAR
FECHAR
16 de outubro de 2015
Voltar
Momento M&T Expo

Impulso à infraestrutura urbana

Fundamentais na gestão das cidades, equipamentos atuam na conservação de ruas, gestão de resíduos e manutenção de redes elétricas, dentre outras atividades vitais

Iluminação precária nas ruas, intermitência no recolhimento do lixo, buracos nas ruas e calçadas e risco permanente de queda de árvores deterioradas são algumas das questões que – como todos nós sabemos – incomodam e atrapalham o cotidiano dos cidadãos nos municípios brasileiros. Para enfrentar tais desafios, as prefeituras precisam aperfeiçoar suas gestões com investimentos constantes na oferta de serviços, proporcionando melhorias na qualidade de habitação, transporte, saúde, educação, segurança e lazer da população.

Dentre os aportes inevitáveis para uma gestão mais eficiente das cidades, a aquisição de equipamentos é certamente um dos principais, pois abrange serviços essenciais como obras de saneamento básico, melhoria da acessibilidade e mobilidade urbana, limpeza e gestão de resíduos sólidos, pavimentação de ruas e avenidas, restauração de calçadas e fachadas, plantio e podas de árvores, revitalização da iluminação pública, manutenção de praças e parques e tantos outros exemplos, todos amplamente mecanizáveis.

ALTA TECNOLOGIA

Para o diretor de operações e feiras da Sobratema (Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração), Hugo Ribas Branco, utilizar equipamentos adequados é fundamental para garantir a qualidade até mesmo de serviços mais prosaicos como recolhimento do lixo, troca de lâmpadas em postes e fechamento de buracos em ruas, evitando a incidência de perturbações no dia a dia das pessoas. “Na maioria das situações, esse tipo de serviço é realizado em horários e dias específicos para que o impacto seja o menor possível para a população”, explica. “Assim, as máquinas precisam ter alta tecnologia que possibilite obter maior produtividade, sustentabilidade e, ainda, pouco ruído.”

Nesse sentido, os equipamentos mais conhecidos são os caminhões de coleta domiciliar e seletiva de lixo, além de caminhões-caçamba para recolhimento de entulho, ambos com horários e dias definidos para transitar em ruas e avenidas. Mas, segundo Ribas, há ainda uma infinidade de máquinas que podem ser utilizadas nas cidades, de acordo com o tipo de aplicação. “Na recuperação e pavimentação de ruas e calçadas, por exemplo, posso citar soluções como as fresadoras de asfalto, pavimentadoras de asfalto e de concreto, vibroacabadoras, extrusoras de concreto, betoneiras manuais, autobetoneiras, miniusinas de asfalto, espa


Iluminação precária nas ruas, intermitência no recolhimento do lixo, buracos nas ruas e calçadas e risco permanente de queda de árvores deterioradas são algumas das questões que – como todos nós sabemos – incomodam e atrapalham o cotidiano dos cidadãos nos municípios brasileiros. Para enfrentar tais desafios, as prefeituras precisam aperfeiçoar suas gestões com investimentos constantes na oferta de serviços, proporcionando melhorias na qualidade de habitação, transporte, saúde, educação, segurança e lazer da população.

Dentre os aportes inevitáveis para uma gestão mais eficiente das cidades, a aquisição de equipamentos é certamente um dos principais, pois abrange serviços essenciais como obras de saneamento básico, melhoria da acessibilidade e mobilidade urbana, limpeza e gestão de resíduos sólidos, pavimentação de ruas e avenidas, restauração de calçadas e fachadas, plantio e podas de árvores, revitalização da iluminação pública, manutenção de praças e parques e tantos outros exemplos, todos amplamente mecanizáveis.

ALTA TECNOLOGIA

Para o diretor de operações e feiras da Sobratema (Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração), Hugo Ribas Branco, utilizar equipamentos adequados é fundamental para garantir a qualidade até mesmo de serviços mais prosaicos como recolhimento do lixo, troca de lâmpadas em postes e fechamento de buracos em ruas, evitando a incidência de perturbações no dia a dia das pessoas. “Na maioria das situações, esse tipo de serviço é realizado em horários e dias específicos para que o impacto seja o menor possível para a população”, explica. “Assim, as máquinas precisam ter alta tecnologia que possibilite obter maior produtividade, sustentabilidade e, ainda, pouco ruído.”

Nesse sentido, os equipamentos mais conhecidos são os caminhões de coleta domiciliar e seletiva de lixo, além de caminhões-caçamba para recolhimento de entulho, ambos com horários e dias definidos para transitar em ruas e avenidas. Mas, segundo Ribas, há ainda uma infinidade de máquinas que podem ser utilizadas nas cidades, de acordo com o tipo de aplicação. “Na recuperação e pavimentação de ruas e calçadas, por exemplo, posso citar soluções como as fresadoras de asfalto, pavimentadoras de asfalto e de concreto, vibroacabadoras, extrusoras de concreto, betoneiras manuais, autobetoneiras, miniusinas de asfalto, espargidores, rolos compactadores ou máquinas para demarcação viária horizontal”, enumera o especialista. “No exterior, todas elas são utilizadas em operações urbanas para aumentar a eficiência dos serviços, o que precisa acontecer aqui também.”

Não há dúvida. Para serviços cotidianos e essenciais como limpeza urbana e gerenciamento de entulhos, a indústria oferece equipamentos ainda pouco utilizados no Brasil para este fim, como varredeiras, caminhões-varredeira, compactadores de lixo, vassouras mecânicas, capinadeiras, trituradores, moinhos, usinas de reciclagem e britadores. Na área de saneamento, o portfólio atual das fabricantes inclui desde pulverizadores e nebulizadores até soluções e métodos avançados de perfuração não destrutiva. Outras máquinas largamente utilizadas em centros urbanos na Europa e nos EUA são as plataformas de trabalho aéreo (PTAs). Versáteis, leves e de maior precisão, esses equipamentos podem ser aplicados, em especial, para trabalhos em pequenas alturas (apesar de já haver modelos que atingem até 60 m) como iluminação pública, manutenção predial e pode de árvores, dentre outros.

SOLUÇÕES URBANAS

É justamente a importância desses equipamentos para uma gestão mais eficiente das cidades que será o tema da Construction Expo 2016 (Feira e Congresso Internacional de Edificações e Obras de Infraestrutura), a ser realizada em junho do próximo ano.

Sob o tema “Cidades em Movimento – Soluções Construtivas para os Municípios”, o evento cobrirá quatro áreas estratégicas, conforme comenta Ribas. “Os fabricantes de equipamentos estarão reunidos na área reservada para os estandes, mas também serão inseridos em salões temáticos e, até mesmo, nas feiras setoriais integradas”, avalia.

Nessa linha, os “Salões Temáticos” apresentam casos de sucesso de forma inovadora, além de destacar sistemas construtivos, projetos, materiais e serviços, enquanto as “Feiras Setoriais Integradas” serão realizadas em parceria com entidades específicas de cada segmento da construção, unificando os eventos e feiras do setor. Mas há ainda o “Congresso Construction Expo”, que irá debater os principais temas que envolvem o universo das cidades no Brasil, e a “Área de Estandes”, expondo as novidades de fabricantes nacionais e internacionais, fornecedores e demais prestadores de serviço para as diversas áreas da construção.

Desse modo, em um único ambiente a Construction Expo 2016 integrará gestores públicos e empresas privadas, apresentando projetos nacionais e internacionais de infraestrutura urbana com acentuado viés de inovação.