FECHAR
FECHAR
03 de maio de 2019
Voltar
Empresa

Hub de conhecimento

Novo complexo da Sandvik Coromant em Jundiaí propõe-se a disseminar conhecimentos sobre as novas tecnologias no setor metalmecânico

Além de otimizar as atividades fabris e facilitar a criação de novos produtos, o acelerado desenvolvimento da Indústria 4.0 tem permitido atrair novos profissionais, principalmente das gerações que já nasceram com a tecnologia digital presente em seu cotidiano, os chamados millenials.

Pensando nisso, a Sandvik Coromant inaugurou em março seu novo Centro Tecnológico – denominado Sandvik Coromant Center –, um espaço de 4 mil m² (sendo 2 mil m² de área construída) localizado na cidade de Jundiaí, no interior de São Paulo. A nova estrutura também passa a abrigar a sede da companhia, antes situada no bairro de Santo Amaro, na capital paulista.

O local, como descreve Cláudio Camacho, vice-presidente da Sandvik Coromant para a América do Sul e Central, conta com equipamentos e ferramental de elevado nível tecnológico, com soluções para digitalização de processos do setor metalmecânico, assim como a realização de testes e elaboração de projetos de clientes, tanto física quanto virtualmente.

O maior diferencial, todavia, é a possibilidade de promover treinamentos e cursos práticos avançados, destinados a estudantes de escolas técnicas e engenheiros pós-graduados. “Com o novo centro, a expectativa é treinar em torno de 15 mil pessoas nos próximos três anos”, projeta o executivo.

De acordo com Camacho, a localização do Centro é estratégica, pois ele se situa a apenas 50 km da capital paulista e próximo ao aeroporto de Viracopos, em Campinas, com acesso fácil também ao Porto de Santos. “Influenciada por algumas questões físicas, essa mudança abre uma oportunidade para os nossos clientes do interior”, diz ele. “Nesse sentido, queremos atender aos clientes que estão tanto no interior quanto na capital, oferecendo todos esses recursos que disponibilizamos aqui.”

PROPOSTA

Segundo a presidente global da Sandvik Coromant, Nadine Crauwels, a proposta é que o Centro funcione como um hub de conhecimento para o país, no qual possam interagir profissionais interessados por novas tecnologias e pelo próprio futuro da manufatura global. “Não se trata apena


Além de otimizar as atividades fabris e facilitar a criação de novos produtos, o acelerado desenvolvimento da Indústria 4.0 tem permitido atrair novos profissionais, principalmente das gerações que já nasceram com a tecnologia digital presente em seu cotidiano, os chamados millenials.

Pensando nisso, a Sandvik Coromant inaugurou em março seu novo Centro Tecnológico – denominado Sandvik Coromant Center –, um espaço de 4 mil m² (sendo 2 mil m² de área construída) localizado na cidade de Jundiaí, no interior de São Paulo. A nova estrutura também passa a abrigar a sede da companhia, antes situada no bairro de Santo Amaro, na capital paulista.

O local, como descreve Cláudio Camacho, vice-presidente da Sandvik Coromant para a América do Sul e Central, conta com equipamentos e ferramental de elevado nível tecnológico, com soluções para digitalização de processos do setor metalmecânico, assim como a realização de testes e elaboração de projetos de clientes, tanto física quanto virtualmente.

O maior diferencial, todavia, é a possibilidade de promover treinamentos e cursos práticos avançados, destinados a estudantes de escolas técnicas e engenheiros pós-graduados. “Com o novo centro, a expectativa é treinar em torno de 15 mil pessoas nos próximos três anos”, projeta o executivo.

Fachada da nova estrutura em Jundiaí: conexão à estrutura global da empresa

De acordo com Camacho, a localização do Centro é estratégica, pois ele se situa a apenas 50 km da capital paulista e próximo ao aeroporto de Viracopos, em Campinas, com acesso fácil também ao Porto de Santos. “Influenciada por algumas questões físicas, essa mudança abre uma oportunidade para os nossos clientes do interior”, diz ele. “Nesse sentido, queremos atender aos clientes que estão tanto no interior quanto na capital, oferecendo todos esses recursos que disponibilizamos aqui.”

PROPOSTA

Segundo a presidente global da Sandvik Coromant, Nadine Crauwels, a proposta é que o Centro funcione como um hub de conhecimento para o país, no qual possam interagir profissionais interessados por novas tecnologias e pelo próprio futuro da manufatura global. “Não se trata apenas de um local físico, mas também digital, pois contamos com recursos para transmissões que nos conectem a outros centros ao redor do mundo, além de ser possível realizar sessões de usinagem digital ao vivo”, diz ela.

Camacho (ao centro) corta a fita de inauguração: confiança no país

A empresa, aliás, conta com 19 centros de treinamento em todo o mundo, todos projetados nos mesmos moldes do brasileiro e com os mesmo recursos, para que a interatividade seja possível entre as diferentes estruturas globais. “Como vivemos em uma época de conectividade, é possível auxiliar os mercados em diferentes lugares do mundo, assim como receber apoio de qualquer um desses centros”, afirma Camacho.

Em termos de recursos, o executivo explica que o novo prédio inclui uma célula com alguns processos em sintonia com o conceito de Indústria 4.0. É o caso de um sistema de transmissão de dados que interliga máquinas, robôs e equipamentos de medição, permitindo aos clientes assimilar o funcionamento dos processos digitais e tomar as melhores decisões para os seus negócios. “Na verdade, a indústria 4.0 é um conceito que unifica e agrega informações”, afirma Camacho, destacando que atualmente o tema já está presente no nosso dia a dia, por meio do uso de aplicativos.

“Pensando dessa forma, tentamos trazer essas inovações para o chão de fábrica, como, por exemplo, a máquina que conversa com o robô e equipamentos que auxiliam na reposição de estoque, ou seja, com tecnologias que irão ajudar a administrar o nosso trabalho”, conta.

A companhia não revela o montante investido no novo espaço. No entanto, o simples fato de realizá-lo nesse momento ainda morno da economia nacional indica a confiança da empresa no potencial do país, que conta com muitos ativos em mineração e óleo e gás, além de uma forte tradição na indústria manufatureira. “A inauguração dessa nova sede é uma forma contundente de mostrar que acreditamos no futuro do país”, comenta Björn Rosengren, presidente e CEO do grupo Sandvik. “O mercado brasileiro é muito importante para nós e, por esse motivo, continuaremos investindo nele.”

Saiba mais:

Sandvik Coromant: www.sandvik.coromant.com/pt-pt