FECHAR
25 de abril de 2011
Voltar
Motores Diesel

Híbridos saem da prancheta e ganham o mercado

Equipamentos com motorização diesel/elétrica, que reduzem o consumo de combustível e a emissão de poluentes, já são uma realidade comercial em vários países e devem chegar ao Brasil ainda este ano

As máquinas de construção equipadas com motores híbridos, que combinam o uso de diesel com outra fonte de energia para seu acionamento, em geral a elétrica, começam a sair da fase de protótipo para se tornar uma realidade comercial. Praticamente todos os principais fabricantes globais de motores e de equipamentos têm projetos nessa área, em diferentes estágios de implantação.

Como cada um deles elegeu um tipo de equipamento para a introdução do sistema – escavadeira hidráulica, pá carregadeira ou rolo compactador, entre outros – as diferenças também se estendem a aspectos tecnológicos. Mesmo assim, todas as empresas envolvidas nesse processo são unânimes numa opinião: os equipamentos com motorização híbrida (diesel/elétrica) são uma resposta à necessidade de controle de emissão de poluentes e de maior sustentabilidade nos canteiros de obras.

No caso da Komatsu, por exemplo, a pioneira no desenvolvimento e na oferta em escala comercial de escavadeiras com motorização diesel/elétrica, os primeiros levantamentos apontaram uma redução de 25% no consumo de diesel, o que também resultou em menor emissão de poluentes. Nas operações que exigiam o giro da máquina com maior frequência, contudo, a economia de combustível chegou a 41%.

Essa diferença é explicada pelo fato de a tecnologia permitir o armazenamento da energia dissipada durante a frenagem de giro da máquina, aproveitando-a como energia adicional quando necessário. Ela foi aplicada na escavadeira da classe de 20 t da marca, a PC200-8, que ganhou um sistema híbrido composto por um motor elétrico de giro, um motor gerador elétrico, capacitores e motor diesel.

O primeiro componente substitui o motor hidráulico para realizar o giro da máquina e, quando esse giro entra em processo de desaceleração, a energia dissipada é armazenada em bancos de capacitores na forma de energia elétrica. No momento que o operador acelera o equipamento, essa energia é adicionada à fornecida pelo sistema a diesel, por meio do motor gerador. Com isso, o motor diesel sempre trabalha em faixas de rotação mais baixas, proporcionando alta eficiência e baixo consumo de combustível.

Estréia no Brasil
Após o sucesso da escavadeira PC200-8 Hybrid, já comercializada no Japão, Europa e América do Norte, a Komatsu se prepara para introduzir a tecnologia também no Brasil. O modelo dotado de motorização híbrida, entretanto, será a HB205, uma escavadeira também da classe de 20 t, que deverá ser lançada no País ainda no primeiro semestre deste ano.