FECHAR
08 de junho de 2015
Voltar
Manipuladores

Em busca de novos nichos

Fabricantes apostam na versatilidade dos telehandlers para posicioná-los em operações além dos tradicionais mercados de construção, mineração e agricultura

O potencial de manipuladores telescópicos (telehandlers, do original em inglês) gera otimismo nos fabricantes. É bem verdade que as vendas desses equipamentos cresceram timidamente em 2014. De acordo com o Estudo Sobratema de Mercado, o incremento foi de apenas 2,5%, saltando de 550 máquinas comercializadas em 2013 para 575 no ano passado.

Mais que isso, analisando atentamente as projeções do estudo – que leva em consideração diversas questões conjunturais da economia brasileira e global – nem haveria motivo para otimismo, já que se espera uma queda de quase 13% no volume vendido em 2015. Todavia, para os fabricantes do setor, há novos nichos no país que podem reverter rapidamente esse cenário. “Hoje, os principais segmentos usuários dessa tecnologia incluem a construção civil, mineração subterrânea, agronegócio e abertura de túneis”, diz Fábio Neves, gerente de produtos da JCB. “Mas gradativamente outros setores, como o portuário e operações de movimentação de cargas e materiais, estão descobrindo os benefícios e utilizando esses equipamentos de forma versátil e eficiente.”

VERSATILIDADE

Segundo o especialista, nas operações portuárias, por exemplo, os telehandlers são utilizados largamente na movimentação de contêineres vazios, remonte de material a granel e até mesmo na limpeza de porões em navios de grande porte. “Nessa última aplicação, os equipamentos são embarcados para atuar durante as viagens ou atracações”, completa Neves, mostrando a versatilidade de aplicação dessas máquinas.

Para Brian Boeckman, diretor global de produtos da JLG, esse tipo de equipamento é similar em aparência e função a uma empilhadeira, com a diferença de maior versatilidade, graças principalmente à lança telescópica, que pode ser estendida à frente e acima do veículo. “A lança é capaz de receber acessórios acopláveis, como os garfos para pallets, e por isso o equipamento é utilizado para movimentar materiais em áreas onde as cargas não podem ser deslocadas por uma empilhadeira tradicional”, diz ele.

Assim, os telehandlers também têm se mostrado úteis em operações gerais de manutenção e no transporte de cargas secas, pallets e outras cargas de até 7 t, segundo explica Michael Dawson, gerente de pós-vendas multimarcas da Brasil Máquinas (BMC), empresa que distribui e comercializa no Brasil os equipamentos da marca italiana Merlo.

No entanto, Dawson diz que no exterior a principal aplicação do manipulador é a construção de conjuntos de prédios de até cinco andares, tarefa em que os modelos maiores são capazes de realizar toda a movimentação de material, entregando-os em cada pavimento, inclusive no teto. “Essa máquina é ainda muito usada para projeções de concreto em túneis, além de manutenção em altura. Na agricultura, um uso bastante comum se dá na colheita de palma, na qual o manipulador telescópico pode assumir a função de um trator agrícola”, diz ele, salientando que até por isso o telehandler vem se popularizando como o único maquinário móvel de uso contínuo em pequenas lavouras.