FECHAR
FECHAR
12 de maio de 2016
Voltar
Compactos & Ferramentas

Eficácia sustentável

Feicon reúne empresas do setor da construção do Brasil e de outros países para apresentar novidades que incrementam a produtividade e reduzem o consumo das aplicações
Por Melina Fogaça

Na esteira de tênues sinais de recuperação no setor da construção no mês de março, a 22ª edição da Feicon Batimat – Salão Internacional da Construção reuniu duas mil marcas nacionais e internacionais para exibir as mais recentes novidades lançadas pela indústria.

De fato, o momento trouxe até “certo” otimismo. O aumento de 0,82% nas atividades, segundo o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foi acompanhado por um avanço de 8% nas vendas no varejo, na comparação a fevereiro de 2016, como mostram os dados do estudo mensal realizado pelo Instituto de Pesquisas da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco).

No entanto, tais números precisam ser colocados em perspectiva. Como afirma Cláudio Conz, presidente da Anamaco, o desempenho ficou 4% abaixo do registrado em março de 2015, fechando o primeiro trimestre do ano com 10% de queda sobre o mesmo período do ano passado. “O ano de 2016 será de incertezas e, por isso, é preciso investir em mudanças, processos e melhorias do setor”, diz o dirigente.

Já a Associação Brasileira de Materiais de Construção (Abramat) estima estabilidade nas vendas para o varejo e redução de 10 a 12% para as construtoras, incluindo o mercado imobiliário e o de infraestrutura. Segundo o presidente da entidade, Walter Cover, a partir de abril as vendas mensais devem permanecer estáveis na comparação anual, pois o setor registra forte retração desde o quarto mês de 2015. “Estamos no centro da retomada da economia e do mercado e, por isso, a Feicon é crucial para apresentar soluções, novidades e tecnologias diferenciadas que possam contribuir positivamente para o setor”, comenta.

Realizada anualmente, a Feicon também se destaca pela participação de empresas estrangeiras que visam estreitar relações com o mercado brasileiro. Nesta edição, que recebeu mais de 96 mil visitantes, o evento contou com a presença de empresas de 11 países, incluindo Estados Unidos, Itália, Turquia, Colômbia, França, Alemanha, Argentina, Reino Unido, Taiwan, Coreia do Sul e China.

ÁGUA E ENERGIA

Neste ano, diversas empresas apresentaram soluções relacionadas à economia de água e energia. A divisão de termotecnologia da Bosch, por exemplo, que tem como foco o desenvolvimento de soluções que visam otimizar a eficiência energética, dedicou um espaço para as soluções turnkey, que a empresa disponibiliza ao segmento de engenharia de aplicação. Essas soluções, diz a assessoria da empresa, implicam no desenvolvimento, acompanhamento e execução de sistemas de aquecimento de água para aplicações industriais e comerciais, em todas as fases dos projetos.