FECHAR
FECHAR
09 de junho de 2016
Voltar
Empresa

Diversificação estratégica

Consolidando as operações no país, a Vermeer expande seu portfólio para além das perfurações, mirando agora setores como energias alternativas e mineração

Há seis anos no Brasil, a Vermeer acredita estar pronta para alçar voos maiores no país. Com um escritório regional instalado em Valinhos (SP), que também serve de centro de distribuição, a empresa iniciou suas operações com a oferta de equipamentos para o setor agrícola, mas rapidamente expandiu o leque para os segmentos de infraestrutura urbana, energia renovável, mineração e indústrias de biomassa e florestal, dentre outros. “Nesse rol, a empresa já oferece uma linha completa de equipamentos para aplicações específicas, como fenação e selagem, escavação especializada, manejo de árvores e perfuração subterrânea”, comenta Herbert Waldhuetter, diretor da Vermeer América Latina, complementando que, com tantas opções, o foco de atuação tende a variar conforme o mercado. “Mesmo ainda sendo representativos atualmente, equipamentos voltados para segmento de valetadeiras e perfurações, por exemplo, já tiveram seu auge. Mas nos últimos quatro anos, os mercados de biomassa e florestal ganharam uma participação maior e, apesar do momento delicado do mercado, também temos uma boa oportunidade em mineração.”

A ampliação da oferta vem em um momento de retração nos resultados da empresa dos mercados brasileiro e latino-americano, que já tiveram maior representação nos negócios. O que explica o aparente paradoxo é o fato de a empresa – que, mesmo tendo âmbito global, preserva uma cultura familiar – nutrir estratégias de longo prazo, e não imediatistas. “No futuro, a região pode representar até 25% das nossas atividades”, projeta Steve Heap, vice-presidente da Vermeer América Latina. “Na verdade, já chegamos aos 15% e hoje estamos abaixo disso, mas nossa intenção é crescer gradativamente.”

ENERGIA

A aposta é calcada na flagrante necessidade de investimentos em setores como o de energia elétrica, o que estimula investimentos em energias renováveis de matriz solar, eólica e de biomassa, todas alternativas viáveis para solucionar os problemas relacionados à crise hídrica. De olho nesse nicho, a Vermeer passou a disponibilizar no Brasil soluções como o instalador de estacas PD10, um equipamento com baixo custo operacional projetado para atuar na instalação de placas solares em usinas de energia fotovoltaica. “Trata-se do único equipamento da categoria no qual o operador tem a opção de trabalhar sentado ou com o auxílio de controle remoto”, garant


Há seis anos no Brasil, a Vermeer acredita estar pronta para alçar voos maiores no país. Com um escritório regional instalado em Valinhos (SP), que também serve de centro de distribuição, a empresa iniciou suas operações com a oferta de equipamentos para o setor agrícola, mas rapidamente expandiu o leque para os segmentos de infraestrutura urbana, energia renovável, mineração e indústrias de biomassa e florestal, dentre outros. “Nesse rol, a empresa já oferece uma linha completa de equipamentos para aplicações específicas, como fenação e selagem, escavação especializada, manejo de árvores e perfuração subterrânea”, comenta Herbert Waldhuetter, diretor da Vermeer América Latina, complementando que, com tantas opções, o foco de atuação tende a variar conforme o mercado. “Mesmo ainda sendo representativos atualmente, equipamentos voltados para segmento de valetadeiras e perfurações, por exemplo, já tiveram seu auge. Mas nos últimos quatro anos, os mercados de biomassa e florestal ganharam uma participação maior e, apesar do momento delicado do mercado, também temos uma boa oportunidade em mineração.”

A ampliação da oferta vem em um momento de retração nos resultados da empresa dos mercados brasileiro e latino-americano, que já tiveram maior representação nos negócios. O que explica o aparente paradoxo é o fato de a empresa – que, mesmo tendo âmbito global, preserva uma cultura familiar – nutrir estratégias de longo prazo, e não imediatistas. “No futuro, a região pode representar até 25% das nossas atividades”, projeta Steve Heap, vice-presidente da Vermeer América Latina. “Na verdade, já chegamos aos 15% e hoje estamos abaixo disso, mas nossa intenção é crescer gradativamente.”

ENERGIA

A aposta é calcada na flagrante necessidade de investimentos em setores como o de energia elétrica, o que estimula investimentos em energias renováveis de matriz solar, eólica e de biomassa, todas alternativas viáveis para solucionar os problemas relacionados à crise hídrica. De olho nesse nicho, a Vermeer passou a disponibilizar no Brasil soluções como o instalador de estacas PD10, um equipamento com baixo custo operacional projetado para atuar na instalação de placas solares em usinas de energia fotovoltaica. “Trata-se do único equipamento da categoria no qual o operador tem a opção de trabalhar sentado ou com o auxílio de controle remoto”, garante Waldhuetter, explicando que o produto tem capacidade de instalar estacas de 3 m, 4,6 m e 6,1 m de altura. “O PD10 conta com potência de 1.500 joules, o que o torna o mais rápido do mercado na categoria.”

Ainda para a geração de energia alternativa, a Vermeer vem investindo em soluções para bioamassa, principalmente proveniente de resíduos da palha de cana. Nessa linha, o portfólio inclui enleiradoras, enfardadoras, transportadores de fardos e trituradores. Outra tecnologia recentemente introduzida pela empresa no país é a perfuratriz direcional horizontal D60X90, voltada para projetos urbanos como a instalação de feixes de fibra ótica, linhas de distribuição de gás, cruzamentos de linhas subterrâneas e dutos de água em áreas congestionadas, que exigem espaços reduzidos de ocupação. “Esta perfuratriz oferece 27.240 kg de empuxo/força de retração e 12.202,4 Nm de torque rotacional”, detalha o executivo.

Já na área de mineração, as apostas da fabricante incluem o minerador de superfície TL1255, que pode ser utilizado em locais onde a utilização de explosivos não é viável, evitando riscos de acidentes e garantindo a qualidade do minério extraído. “Além da extração de minérios, este equipamento pode ser utilizado em processos auxiliares, como drenagem de minas e nivelamentos de terrenos, reduzindo assim as paradas e custos de manutenção”, finaliza Waldhuetter.

Encontros debatem tendências de mercado

Outra estratégia adotada pela Vermeer para estimular os negócios no Brasil é a realização de encontros com especialistas, prestadores de serviço e engenheiros, visando ao compartilhamento de informações sobre as tendências de mercado. “O enfoque é fazer com que nossos clientes ouçam dos especialistas quais são as perspectivas do mercado, visando a gerar novas soluções”, afirma Steve Heap, vice-presidente da Vermeer América Latina.

E tais eventos, obviamente, também aproximam clientes potenciais. Segundo Herbert Waldhuetter, diretor da Vermeer América Latina, a intenção é trabalhar a oferta e a demanda. “O intuito não é realizar palestras sobre nossos equipamentos, mas promover o encontro de pessoas envolvidas com o mercado e que, por isso, sabem o que vai acontecer nos próximos anos”, afirma.