FECHAR
FECHAR
10 de setembro de 2018
Voltar
Lançamento

Demanda por aplicação

Ao apresentar sua nova geração de caminhões, que traz nova cabina e motorização, a Scania aposta na customização dos veículos para atender à necessidade dos clientes

Nos tempos atuais, um dos principais desafios de qualquer fabricante é acompanhar o avanço constante da tecnologia, inserindo-a em sua respectiva área de atuação para que seja mais eficiente e sustentável, sempre de acordo com as necessidades individuais de seus clientes. Buscando seguir tal conceito, a Scania traz para a América Latina sua Nova Geração de caminhões, projetada para atender às necessidades específicas dos clientes, ou seja, a demanda por aplicação.

Lançada em 2016 na Europa, após cerca de dez anos de testes, a nova gama de produtos é fruto de um programa de investimento de € 2 bilhões da marca em âmbito global. “No Brasil, já investimos R$ 1,5 bilhão deste montante para receber a novidade”, explica Christopher Podgorski, CEO da Scania Latin America. “Contudo, entre 2016 e 2020, mais de R$ 2,6 bilhões serão destinados à preparação da fábrica de São Bernardo do Campo (SP), que utiliza toda a tecnologia mais recente e o mais alto grau de automação, incluindo uma nova fábrica de solda de cabinas – que apresenta o estado da arte em Indústria 4.0 – e 75 robôs operando, além de novas linhas de produção para montagem do novo produto.”

Diferentemente da Europa, onde o lançamento foi gradual, toda a gama será lançada ao mesmo tempo no país, assim como na América Latina.


NOVIDADES

Dentre as principais mudanças, a Nova Geração traz cabinas totalmente reformuladas com a introdução da versão S (com 2,7 m de altura), que tem como principal característica a disponibilização de piso plano, que – segundo a fabricante – melhora consideravelmente o deslocamento interno do motorista.

Segundo o gerente de pré-venda da Scania no Brasil, Celso Mendonça, a decisão de introduzir uma nova cabina criou um desafio considerável para os projetistas, tendo em vista a necessidade de se manter a tradicional identidade visual da marca. Desenhada em cooperação com a Porsche Engineering (empresa que pertence ao mesmo grupo da Scania), a cabina é totalmente nova, sendo que nenhuma peça das séries P, G e R foi reaproveitada.

Conforme detalha o executivo, a aerodinâmica


Nos tempos atuais, um dos principais desafios de qualquer fabricante é acompanhar o avanço constante da tecnologia, inserindo-a em sua respectiva área de atuação para que seja mais eficiente e sustentável, sempre de acordo com as necessidades individuais de seus clientes. Buscando seguir tal conceito, a Scania traz para a América Latina sua Nova Geração de caminhões, projetada para atender às necessidades específicas dos clientes, ou seja, a demanda por aplicação.

Nova Geração traz cabinas totalmente reformuladas com a introdução da versão S

Lançada em 2016 na Europa, após cerca de dez anos de testes, a nova gama de produtos é fruto de um programa de investimento de € 2 bilhões da marca em âmbito global. “No Brasil, já investimos R$ 1,5 bilhão deste montante para receber a novidade”, explica Christopher Podgorski, CEO da Scania Latin America. “Contudo, entre 2016 e 2020, mais de R$ 2,6 bilhões serão destinados à preparação da fábrica de São Bernardo do Campo (SP), que utiliza toda a tecnologia mais recente e o mais alto grau de automação, incluindo uma nova fábrica de solda de cabinas – que apresenta o estado da arte em Indústria 4.0 – e 75 robôs operando, além de novas linhas de produção para montagem do novo produto.”

Diferentemente da Europa, onde o lançamento foi gradual, toda a gama será lançada ao mesmo tempo no país, assim como na América Latina.


NOVIDADES

Dentre as principais mudanças, a Nova Geração traz cabinas totalmente reformuladas com a introdução da versão S (com 2,7 m de altura), que tem como principal característica a disponibilização de piso plano, que – segundo a fabricante – melhora consideravelmente o deslocamento interno do motorista.

Segundo o gerente de pré-venda da Scania no Brasil, Celso Mendonça, a decisão de introduzir uma nova cabina criou um desafio considerável para os projetistas, tendo em vista a necessidade de se manter a tradicional identidade visual da marca. Desenhada em cooperação com a Porsche Engineering (empresa que pertence ao mesmo grupo da Scania), a cabina é totalmente nova, sendo que nenhuma peça das séries P, G e R foi reaproveitada.

Conforme detalha o executivo, a aerodinâmica da cabina mereceu uma atenção especial, sendo que todos os fechamentos e desníveis – que antes impactavam negativamente no projeto – foram refeitos e eliminados, o que implicou testes exaustivos no maior túnel de vento da Europa. “Só o fato de utilizarmos uma cabina com essa nova aerodinâmica nos proporcionou um ganho de economia de combustível de até 2%”, conta.

O própósito, comenta Mendonça, foi desenvolver um número de cabinas que possa oferecer as funcionalidades corretas para todas as aplicações e demandas. Em comparação ao portfólio atual, a linha passa de sete para 19 tipos de combinações de cabinas, em variações das novas versões R, S, P e XT – esta última, desenvolvida para as operações severas e voltada para rodar em estradas em estado precário de conservação.

Outra novidade na cabina, voltada para a segurança do motorista, é a inserção de um airbag lateral, um recurso com potencial para reduzir em até 25% o número de fatalidades em acidentes por tombamento. “Além disso, o posicionamento do condutor foi realocado para que obtenha maior visão do entorno do veículo, enquanto o painel foi rebaixado”, ressalta o especialista. “Também há agora uma força maior de frenagem, tudo para ajudar a diminuir os acidentes.”

MOTORIZAÇÃO

Segundo Mendonça, economia de diesel pode chegar a 12% com as alterações no projeto

Em relação aos motores, a Nova Geração chega ao país com um novo motor padrão de 540 cv e 13 litros. Todavia, a gama de propulsores traz opções nas potências de 220, 280, 320, 410 e 500 cv. Ainda como novidade, um motor de 7 litros é específico para o segmento semipesado, oferecendo três diferentes possibilidades de potência: de 220, 250 e 280 cv.

Para diminuir o consumo, os ruídos e as emissões, os motores foram desenvolvidos com tecnologia de injeção de diesel de alta pressão com múltiplos pontos, além de receberem novos sistemas de gerenciamento e instalações. “Somando todas as alterações, a economia total de diesel pode chegar a 12%”, assegura Mendonça. “Só os novos motores, agora equipados com nova tecnologia de alta pressão, garantem até 8% de redução de consumo, em comparação aos motores da linha atual.”

Com foco no segmento de novos combustíveis, o lançamento inclui ainda outros cinco novos motores, dois movidos a GNV/biometano e três bioetanol. “A Scania não aposta em uma solução única e, por isso, desenvolvemos diferentes possibilidades de combustíveis”, argumenta o executivo. “Mas antes de adotar um tipo de combustível é preciso levar em conta sua disponibilidade, a infraestrutura e, ainda, se o ciclo completo desse combustível é verde realmente.”

ATENDIMENTO

Segundo a Scania, o conceito de caminhões personalizados possibilita a criação de cerca de 500 diferentes tipos de caminhões, com uma igualmente gama variada de peças. Assim, a fabricante também está mudando a forma de abordagem e seus vendedores, que passam a ser treinados visando a auxiliar os clientes nessas amplas combinações de produtos e serviços, tendo como base as necessidades reais de cada operação.

Nesse sentido, a rede de concessionárias permitirá ao comprador personalizar ainda mais as soluções de produtos e serviços com novas ferramentas que serão disponibilizadas para o seu dia a dia. “Os nossos vendedores passam a ser consultores de negócios, pois o objetivo não será somente a venda do caminhão, mas também oferecer soluções e combinações que de fato atendam às necessidades dos clientes”, diz Silvio Munhoz, diretor comercial da Scania no Brasil.

Até o lançamento da Nova Geração (que será realizada oficialmente em outubro, com as primeiras entregas a partir de fevereiro de 2019), a equipe de vendas passará por treinamentos com uma ferramenta que auxilia na escolha da melhor solução de transporte, de acordo com a real necessidade do cliente. “Queremos mudar a ideia de produção em série de caminhões, pois os clientes já não aceitam mais desperdícios”, afirma Mendonça. “E cabe a nós essa mudança, deixando de ser meros produtores de caminhões, fabricando 300 caminhões idênticos, para nos tornarmos provedores de soluções sob medida.”

JORNADA RODARÁ 13 MIL KM NA AMÉRICA LATINA

Jornada inclui paradas em concessionárias de quatro países para realização de eventos

O pré-lançamento da Nova Geração de caminhões da Scania contou com uma ação promocional denominada The Journey (A Jornada). Segundo Juliana Sá, gerente executiva de projetos especiais de comunicação da Scania Latin America, a ação marcou a saída de dois novos caminhões Scania (configurados com a nova cabina S e com o novo motor XPI de 500 cv) da fábrica de São Bernardo (SP) rumo a quatro países da América Latina – Brasil, Argentina, Chile e Peru. Na denominada “Rota Azul”, um dos caminhões fará paradas em concessionárias da região para realizar eventos com clientes, jornalistas e parceiros. O outro caminhão, na “Rota Verde”, ajudará a compilar histórias de personagens da América Latina que estão tornando o mundo mais sustentável.

Após uma viagem de quase dois meses e 13 mil km, o ponto final será no dia 29 de outubro, quando será realizada uma atividade especial no Guarujá, no litoral paulista. “Nosso objetivo é mostrar atitudes de transformação de pessoas que, de alguma maneira, estão buscando soluções sustentáveis”, comenta Juliana Sá. “Estas histórias serão transformadas em uma websérie, que será lançada no final de outubro por meio do site da Scania e mídias sociais.”

Saiba mais:

Scania Brasil: www.scania.com/br