FECHAR
FECHAR
17 de novembro de 2013
Voltar
Fenatran

Demanda alta estimula lançamentos

Com foco no transporte de cargas, Fenatran apresenta as novidades e tendências para o mercado de caminhões, que retoma crescimento no país

Com a forte expansão da safra agrícola e o início dos programas de infraestrutura, o setor de transporte de carga mostra recuperação consistente após a acentuada queda provocada pela introdução do Euro V. De fato, de acordo com dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), o ano de 2013 já registra o segundo maior volume de fabricação e vendas de veículos pesados da história.

Segundo Luiz Moan, presidente da Anfavea, de janeiro-setembro o Brasil produziu cerca de 150 mil caminhões, sendo licenciados exatos 112.549 veículos pesados no período. “Isso representa um aumento de 13,6% de licenciamentos ante o mesmo período de 2012”, afirma o executivo. Neste cenário promissor, diversas empresas aproveitaram a participação no recém-finalizado 19º Salão Internacional do Transporte (Fenatran) para apresentar suas novidades nos segmentos de caminhões, implementos e pneus.

FORA DE ESTRADA

Para suprir uma presumível carência do mercado de veículos fora de estrada com capacidade superior a 31 t de Peso Bruto Total (PBT), a Iveco apresenta a nova versão do modelo Trakker, com opção de motor FPT Cursor 9 com 360 cv de potência e transmissão mecânica de 10 marchas. De acordo com Christian Gonzalez, diretor de marketing da empresa, a versão pode ser utilizada em um série de aplicações off-road, com destaque para o segmento de construção, tanto com implemento basculante quanto mixer, além de ser indicado para usinas canavieiras e mineração. “A nova versão do Trakker está disponível com distâncias entre-eixos de 3.500, 4.500 e 4.800 mm”, detalha Gonzalez.

Ainda na linha com capacidade acima de 31 t, a Mercedes-Benz amplia a linha Axor com a introdução do caminhão Axor 3131 6x4, nas versões basculante, betoneira e plataforma. Como explica Maria Brito, gerente de desenvolvimento da Mercedes-Benz, a nova versão sucede o modelo 2831 e foi desenvolvida para trabalhos na construção civil, obras de infraestrutura, mineração, agroindústria e madeireiras. “Graças à elevação do PBT para 31 t, o modelo ganhou maior capacidade de carga, aumentando a produtividade”, afirma. Brito explica que o Axor 3131 é equipado com câmbio semiautomático ComfortShift G-211, de 16 marchas. “O acionamento para troca de marchas é feito por um conjunto de válvulas eletropneumáticas, sem ligação mecânica entre a alavanca seletora de marchas e o câmbio”, explica.