FECHAR
FECHAR
11 de janeiro de 2019
Voltar
M&T Expo 2018

De volta para o futuro

Realizada pela primeira vez fora de sua época tradicional, a 10ª edição da M&T Expo surpreendeu expositores pelos bons resultados, prenunciando uma retomada mais forte do setor de máquinas pesadas no país

A 10ª edição da M&T Expo (Feira Internacional de Equipamentos para Construção e Mineração) já entrou para a história. Se por um lado seu inédito (e forçado) adiamento em decorrência da greve dos caminhoneiros representou contratempos para todos os envolvidos, por outro também propiciou sua realização em um momento mais ameno da conturbada política nacional, com as eleições já decididas e o mercado mais confiante e em franca expectativa pela retomada do crescimento. Nesta edição, a feira recebeu aproximadamente 40 mil visitantes e reuniu 800 expositores de 19 países – Alemanha, Canadá, China, Coreia do Sul, Dinamarca, Estados Unidos, Finlândia, França, Holanda, Índia, Irlanda, Itália, Japão, Malásia, Reino Unido, Rússia, Suécia, Suíça e Turquia.

Como veremos neste especial, o tom do evento foi de otimismo entre players, palestrantes e visitantes, todos exalando um clima de superação que, ademais, materializou-se nos resultados da feira. “A M&T Expo acaba sendo um termômetro para medirmos como está a situação do mercado”, afirmou Giovanni Borgonovo, gerente de marketing da New Holland Construction. “E, nesse sentido, pudemos sentir um grande otimismo por parte do público na retomada do segmento da construção.”

E nem mesmo o adiamento do evento foi capaz de tirar seu brilho. Para o vice-presidente da Sobratema, Eurimilson Daniel, o momento de realização da feira foi perfeito. “Ouvi vários fabricantes afirmando que foi muito bom a feira ter sido realizada após as eleições, pois as pessoas estão mais otimistas e as expectativas em relação aos projetos de infraestrutura são muito maiores”, disse. “Vivemos um momento que excede nossas expectativas, as vendas estão em alta e as equipes estão satisfeitas com os resultados obtidos.”

De fato, como maior evento de seu segmento na América Latina, a feira é reconhecida justamente pela sua capacidade de gerar (muitos) negócios. Em 2015, por exemplo, foram movimentados aproximadamente R$ 3 bilhões em negociações. Isso porque, como acontece já há 23 anos, os visitantes aguardam a feira para renovar seus parques de equipamentos. E dessa vez não foi diferente. “Certamente, a feira contribui para os resultados do mercado, como vem ocorrendo em todas as edições anteriores, quando ajudou a reverter os impactos da crise econômica enfrentada pelo país”, disse Afonso Mamede, presidente da Sobratema.

RESULTADOS