FECHAR
FECHAR
26 de setembro de 2011
Voltar
Carretas de Perfuração

Caimex lança novo modelo no mercado

Com o modelo ECD35, a empresa passa a dispor de uma carreta hidráulica dimencionada para menores volumes de desmonte

Três anos após introduzir no mercado brasileiro as carretas de perfuração hidráulicas da marca sulcoreana Everdigm, a Caimex ampliou seu portfólio de produtos com o lançamento de um novo modelo no país. Trata-se da carreta ECD35, apresentada em primeira mão durante a M&T Peças e Serviços, que está sendo oferecida como uma solução intermediária ao tradicional modelo ECD40, para empresas que operam com menor volume de produção.

“Esse modelo é indicado para empresas que trabalham com um volume de desmonte de rocha de 60 mil m3/mês (in situ), como pedreiras, mineradoras de pequeno e médio porte e construção civil”, afirma Carlos Honorato Lima, diretor da Caimex. Com isso, ele explica que o equipamento substitui até duas ou três carretas pneumáticas, dependendo do tipo de aplicação, pelo mesmo custo de aquisição.

“A vantagem, nesse caso, é que além do preço competitivo, o equipamento proporciona maior produtividade e menor custo operacional em comparação com os modelos pneumáticos”, pondera Lima. Como se trata de uma carreta mais compacta, ela vem equipada com motor de menor porte, com 165 HP de potência, que apresenta um consumo de combustível de 20 a 22 l/h de operação. Em contrapartida, ela oferece uma velocidade de avanço de 30 a 35 m/h em rocha do tipo granito.

O executivo destaca que, enquanto a ECD40 é indicada para perfurações de até 4 polegadas de diâmetro, em profundidades máximas de 20 a 25 m, a ECD35 atinge diâmetros de 3,5 polegadas e profundidades de até 17 m, para uma boa relação de produção. Devido à menor demanda de limpeza nas perfurações, o modelo ECD35 vem equipado com um compressor de ar de 5,4 m3/h de vazão – 0,6 m3/h a menos que a carreta hidráulica maior – o que também se traduz em redução nos custos de operação. “Apesar disso, os dois modelos são equipados com o mesmo martelo de topo, com potência de 16 kW, que confere alta capacidade de penetração nas operações”, complementa Ricardo Binembaum, diretor da Caimex.

Projeções de mercado

Em três anos de atuação com a marca, a empresa conta com um parque de cerca de 30 carretas de perfuração hidráulicas em operação no país, o que transforma o Brasil em um dos principais mercados internacionais para a fabricante coreana. “A Everdigm está empolgada com o desempenho do mercado brasileiro e nossa meta é crescer entre 20% e 30% somente no segundo semestre deste ano”, diz Binembaum.

Ele afirma que, além da qualidade do pr


Três anos após introduzir no mercado brasileiro as carretas de perfuração hidráulicas da marca sulcoreana Everdigm, a Caimex ampliou seu portfólio de produtos com o lançamento de um novo modelo no país. Trata-se da carreta ECD35, apresentada em primeira mão durante a M&T Peças e Serviços, que está sendo oferecida como uma solução intermediária ao tradicional modelo ECD40, para empresas que operam com menor volume de produção.

“Esse modelo é indicado para empresas que trabalham com um volume de desmonte de rocha de 60 mil m3/mês (in situ), como pedreiras, mineradoras de pequeno e médio porte e construção civil”, afirma Carlos Honorato Lima, diretor da Caimex. Com isso, ele explica que o equipamento substitui até duas ou três carretas pneumáticas, dependendo do tipo de aplicação, pelo mesmo custo de aquisição.

“A vantagem, nesse caso, é que além do preço competitivo, o equipamento proporciona maior produtividade e menor custo operacional em comparação com os modelos pneumáticos”, pondera Lima. Como se trata de uma carreta mais compacta, ela vem equipada com motor de menor porte, com 165 HP de potência, que apresenta um consumo de combustível de 20 a 22 l/h de operação. Em contrapartida, ela oferece uma velocidade de avanço de 30 a 35 m/h em rocha do tipo granito.

O executivo destaca que, enquanto a ECD40 é indicada para perfurações de até 4 polegadas de diâmetro, em profundidades máximas de 20 a 25 m, a ECD35 atinge diâmetros de 3,5 polegadas e profundidades de até 17 m, para uma boa relação de produção. Devido à menor demanda de limpeza nas perfurações, o modelo ECD35 vem equipado com um compressor de ar de 5,4 m3/h de vazão – 0,6 m3/h a menos que a carreta hidráulica maior – o que também se traduz em redução nos custos de operação. “Apesar disso, os dois modelos são equipados com o mesmo martelo de topo, com potência de 16 kW, que confere alta capacidade de penetração nas operações”, complementa Ricardo Binembaum, diretor da Caimex.

Projeções de mercado

Em três anos de atuação com a marca, a empresa conta com um parque de cerca de 30 carretas de perfuração hidráulicas em operação no país, o que transforma o Brasil em um dos principais mercados internacionais para a fabricante coreana. “A Everdigm está empolgada com o desempenho do mercado brasileiro e nossa meta é crescer entre 20% e 30% somente no segundo semestre deste ano”, diz Binembaum.

Ele afirma que, além da qualidade do produto, esse desempenho deve ser atribuído ao trabalho de informação desenvolvido no mercado, para a oferta de uma alternativa de qualidade em carretas de perfuração. “Os equipamentos da marca se caracterizam pela robustez e por apresentar menor conteúdo eletrônico que seus concorrentes europeus.” Binembaum ressalta que essa característica vem ao encontro da necessidade de usuários que não podem se dar ao luxo de ver seu equipamento interromper a produção diante de uma pequena pane eletrônica.

Contar com menos conteúdo eletrônico, entretanto, não significa que os equipamentos coreanos sejam dotados de tecnologia inferior. Entre os itens de sofisticação, vale ressaltar que eles são dotados de sistema anticravamento, que preserva a qualidade do furo e a integridade das ferramentas de perfuração, além de sistema de lubrificação centralizado e pré-coletor para a retenção de partículas maiores, de forma a preservar o sistema coletor de pó.

Entre outras características, as carretas de perfuração hidráulicas Everdigm contam ainda com cabine fechada, equipada com ar condicionado, proteção contra ruídos (abaixo de 84 dB) e com recursos de ergonomia para o maior conforto e produtividade do operador. “Além disso, seu braço telescópico amplia a área de alcance e proporciona maior produtividade nas perfurações, à medida que viabiliza a execução dos furos com menos movimentações da máquina”, completa Lima.

Outra vantagem, nesse caso, é que o sistema também preserva a máquina de uma perigosa aproximação na borda das bancadas, evitando riscos de tombamento. Lima destaca também que o modelo ECD35 utiliza o mesmo material seccionado empregado na carreta hidráulica de maior porte, como hastes e bits de perfuração. Com isso, os usuários conseguem uma melhor gestão desses materiais, reduzindo custos de estoque.

Nessa área, aliás, vale ressaltar que a Caimex conta com um amplo estoque de peças e material seccionado para fornecimento aos clientes. A partir de sua sede, em São Paulo, a empresa conta com uma estrutura de suporte aos usuários em peças de reposição e serviços de manutenção, de forma a garantir que os equipamentos mantenham altos índices de disponibilidade e produtividade em campo.

Essa estrutura permite que as carretas de perfuração sejam operadas em localidades das mais remotas, desde pedreiras e mineradoras, até obras de infraestrutura como a construção da hidrelétrica de Santo Antônio, em Rondônia, e a Transposição do rio São Francisco, no sertão nordestino. Além de fornecer os equipamentos Everdigm e uma ampla linha de ferramentas para perfuração, a empresa também atua na distribuição de rompedores hidráulicos e demais produtos para mineração e construção civil. “Trabalhamos apenas com produtos que se caracterizam pela robustez e elevada produtividade no campo”, conclui Lima.