FECHAR
FECHAR
08 de agosto de 2016
Voltar
Compactos & Ferramentas

Bombeamento contínuo em múltiplas frentes

As bombas submersíveis são utilizadas para bombear água potável ou contaminada, tanto em obras da construção civil e na mineração quanto na indústria em geral

Utilizadas para bombear água limpa ou contaminada de forma contínua, as bombas d’água submersíveis são equipamentos compostos por um motor elétrico e um conjunto hidráulico, utilizados geralmente para a transferência e elevação de líquidos, principalmente água, seja potável, de chuva, esgoto ou mesmo resultante de processos industriais.

Geralmente, a bomba submersível é instalada dentro de um poço, alguns metros abaixo do nível dinâmico. Funcionando de forma silenciosa, o equipamento bombeia a água por meio de pressão, sendo indicado especialmente para locais com limitação de espaço.

Uma de suas principais características é justamente sua versatilidade. Segundo Ricardo Choueiri, engenheiro responsável pelo setor de importação e exportação da Dancor, as bombas submersíveis podem ser utilizadas para bombear água em diversos tipos de reservatórios, tanto para uso industrial quanto doméstico.

Nessa linha, as soluções são aplicadas tanto em centros urbanos como na construção civil, mas também têm seu espaço cativo em elevatórias e estações de esgoto e efluentes, drenagens de subsolos e de valas de rebaixamento de lençol freático (em utilização provisória ou eventual durante a execução das obras), captação de água para irrigação, drenagens de minas e lagoas, esgotamento de porões e muitas outras áreas.

FAMÍLIAS

Na construção civil, especificamente, existem quatro famílias de bombas que se diferenciam pelos respectivos níveis de sucção. A saber, as centrífugas apresentam nível de sucção de até 8 m, enquanto as autoaspirantes têm nível de sucção de até 9 m, as ejetoras de até 40 m e as submersas de poços profundos de até 300 m. “Resumidamente, as bombas são projetadas para trabalhar com água potável, exceto as submersíveis (centrífugas), que podem ser utilizadas para esgotos”, diz o Choueiri. “Assim, materiais como lama, abrasivos e partículas em suspensão não são recomendados para utilização com bombas convencionais, pois podem prejudicar e diminuir a vida útil desses equipamentos.”

De acordo com o engenheiro, as bombas são soluções muito robustas e, por isso, exigem pouca manutenção, especialmente se forem instaladas corretamente. Grosso modo, a manutenção necessária resume-se à inspeção periódica da fiação elétrica e à lubrificação do selo mecânico. “Porém, também devem ser realizadas manutenções preventivas, incluindo nesse rol a checagem do quadro de comando e das instalações elétrico-hidráulicas, a verificação de possíveis vazamentos ou entradas de ar na tubulação e componentes principais, tais como carcaça e rolamentos”, diz ele.