FECHAR
17 de novembro de 2013
Voltar
Caminhões

A nova geração dos sistemas de direção

Tecnologias de direção para caminhões avançam rapidamente na indústria mundial, que já prepara o lançamento de um inédito sistema com conceito totalmente elétrico

Imagine um minúsculo hamster de 175 gramas dentro de uma gaiola presa ao volante de um caminhão de 15 toneladas. Mesmo parecendo algo insano e sem propósito, continue imaginando que – deslocando uma cenoura um operador atraia o animal para a direita ou para a esquerda. Sempre com o hamster “ao volante”, aumente o nível de complexidade da situação engatando a primeira marcha e dando partida no caminhão. Agora, coloque esse inusitado conjunto numa mina a céu aberto, com solo extremamente irregular e ruelas estreitas cercadas por abismos.

Pois bem, pode parar de imaginar porque tudo isso aconteceu de verdade. De fato, a experiência ocorreu recentemente na Espanha, o hamster se chama Charlie e essa foi a insólita forma que a Volvo Trucks encontrou para demonstrar a facilidade que um sistema de direção elétrica pode oferecer a caminhões pesados (acesse o vídeo no link da pág. 31). “A proeza desse hamster integra um dos muitos testes espetaculares envolvendo os novos modelos de nossos caminhões”, frisa Claes Nilsson, presidente mundial da Volvo Trucks.

UPGRADE

Primeiro sistema de direção com conceitos elétricos para caminhões do mundo, o recurso integra a linha FMX – para aplicações fora de estrada – da multinacional sueca. Denominada “Direção Dinâmica” (Dynamic Steering), a solução da Volvo já é considerada como uma segunda evolução dos sistemas de direção para caminhões. O primeiro avanço, assim como ocorreu com os automóveis de passeio, foi o upgrade da direção mecânica para a hidráulica. Mas agora, o futuro aponta para a tecnologia elétrica como novo padrão da indústria.

Tecnicamente, a novidade é um misto que combina direção hidráulica convencional com um motor elétrico, controlado eletronicamente e acoplado ao eixo de direção. “A baixas velocidades, mesmo caminhões totalmente carregados ficam tão leves que é possível manobrá-los com apenas um dedo”, explica Jan-Inge Svensson, engenheiro que trabalhou no desenvolvimento do software que controla o sistema. “Ao trafegar por estradas, esse sistema dinâmico oferece estabilidade direcional incomparável.”

Nessa tecnologia, a tarefa do motor elétrico é justamente aumentar a sensibilidade de direção em cada momento da operação. Para tanto, os sensores do sistema influenciam o motorista a dirigir em linha reta, reduzindo automaticamente a interferência da superfície da estrada, que pode desestabilizar o volante em determinadas circunstâncias.