FECHAR
FECHAR
14 de fevereiro de 2018
Voltar
Especial Sobratema 30 Anos

A ascensão dos híbridos

No foco dos investimentos, configurações do trem de força e novos dispositivos de armazenamento vêm elevando as máquinas híbridas ao topo das pesquisas no setor

Iniciando as comemorações dos 30 anos da Sobratema, nesta edição a Revista M&T traz um resumo das principais características que alçaram a tecnologia de equipamentos híbridos ao topo das pesquisas (e investimentos) nos últimos anos. Publicado no periódico Advances in Mechanical Engineering (AIME), o artigo “Uma visão abrangente do maquinário híbrido de construção” – que embasa este material – revisa o estado da arte em pás carregadeiras de rodas e escavadeiras híbridas, com foco em configurações de trem de força, dispositivos de armazenamento e estratégias de gerenciamento de energia.

Assinado pelo pesquisador chinês Jixin Wang e sua equipe da Jilin University, o trabalho demonstra como as máquinas híbridas de construção (HCM, de Hybrid Construction Machinery, do original em inglês) podem reduzir continuamente o custo de propriedade e o consumo de combustível, graças aos avanços da tecnologia e ao suporte de governos e fabricantes à pesquisa.

Mais que isso, com o crescente foco em economia de energia e redução de emissões, as recentes aplicações de tecnologias híbridas também afetam o desenvolvimento da própria indústria de equipamentos para construção. “As HCMs têm potencial para ampliar o mercado de máquinas para construção no futuro”, asseguram os autores.

De fato, como destaca o estudo, a tecnologia híbrida desponta como o futuro mais promissor para as máquinas de construção. No entanto, muitos obstáculos ainda têm de ser superados. Diferentemente das máquinas tradicionais, é preciso dispor de um dispositivo adicional de armazenamento de energia e, além disso, realizar uma adaptação profunda da configuração original do trem de força, o que aumenta consideravelmente seu custo inicial de aquisição.

E este é um fator-chave para a aceitação pública e o reconhecimento destas tecnologias. O preço de uma escavadeira híbrida, por exemplo, é aproximadamente 20% a 50% maior que o de uma máquina de linha padrão, o que faz com que seja mais difícil de ser aceita. Por outro lado, embora a tecnologia híbrida – particularmente os dispositivos de armazenamento de energia – ainda esteja em seus estágios iniciais, a redução dos custos e a adaptação às novas tecnologias são sinais promissores. “Estima-se que o custo das baterias de íons de lítio tenha caído aproximadamente 14% ao ano entre 2007 e 2014, de US$ 1.000 por kWh para aproximadamente US$ 410 por kWh”, exemplifica Wang.